Na relação ganha-perde, saia ganhando

No esporte e na vida, todos querem ganhar

Então você pergunta: “O jogo acabou 0 x 0 para quem?” De vez em quando alguém cai nessa brincadeira e acaba respondendo com o nome do seu time…. ato falho!

Isso acontece porque, nos esportes como na vida, todos querem ganhar, ninguém gosta de perder. Baseamos nossa vida na dualidade ganha x perde:

– você conquista o amor da sua vida (ganha) ou foi deixado pela sua cara metade (perde)

– você consegue um bom emprego (ganha) ou você não consegue a promoção, ou é demitido (perde)

– você ganha um filho, neto, sobrinho, uma nova amizade (ganha) ou se vê afastado do convívio de um parente, de um amigo, seja por morte, mudança para outro local de trabalho, de residência (perde)

Todos nós queremos ganhar. A realização e a conquista impulsionam nossa vida, estão relacionadas a vários sentimentos bons: felicidade, alegria, euforia, satisfação, realização, o coração leve e luminoso como um dia ensolarado.

Ninguém quer perder. Perda é sinônimo de insucesso, fracasso, derrota. Perda é tristeza, raiva, choro, aperto no coração, dias sombrios, clima pesado.

Em geral, nós não somos emocionalmente preparados a lidar com perdas, com frustrações. Certamente que é difícil lidar com esse sentimento, mas, muitas vezes, é um fato inevitável.

Saber lidar com tais situações é importante para mantermos nosso bem-estar. Nas simples e profundas palavras de Dalai Lama, “aconteça o que acontecer na sua vida, não perca a sua paz interior, ela é a força que você precisa para manter-se em equilíbrio mesmo durante as piores tempestades.

Nessa época de pessoas atormentadas por pesadelos, por frustrações e sonhos desfeitos, manter a paz é fundamental para não cair nas armadilhas da depressão. A carga de informação que você recebe durante o seu dia, a pressão do trabalho, dos estudos e dos relacionamentos, acaba deixando seus nervos em pedacinhos.”

O que cada sentimento pode significar

O sentimento de frustração sentido devido ao insucesso em alguma realização pretendida pode trazer embutido um forte sentimento de cobrança de si próprio e/ou necessidade de aprovação de terceiros. Esses fatores, inclusive, podem ser a causa do fracasso, pois o medo de não conseguir e a vergonha de ser criticado acabam por exercer uma pressão tão intensa que abala a autoconfiança, comprometendo o resultado esperado. Ao nos desvincularmos desses sentimentos massacrantes, agimos com mais espontaneidade, permitimos que as nossas qualidades aflorem naturalmente, e entendemos que, afinal, o resultado muitas vezes não depende apenas de nosso desempenho, mas de uma combinação de fatores que não estão sob nosso controle.

O sentimento de perda tem profunda relação com a questão do apego. Desta forma, uma das maneiras de evitar esse tipo de sofrimento, é trabalhando o desapego, seja em relação a itens materiais, a pessoas ou a ideias. Assumindo que nada nos pertence em definitivo – afinal a inevitável extinção da vida não nos concede essa prerrogativa – podemos nos sentir como detentores temporários ou abençoados usufrutuários de tudo que nos cerca e faz parte de nossa vida. Assim, se sofremos algum revés financeiro ou nos vemos privados da companhia de pessoas queridas, podemos ver a situação com outros olhos, amenizando a dor ou desgosto que, de qualquer maneira, vamos sentir durante um certo tempo.

Quais sentimentos podem surgir frente aos problemas e como lidar com eles

Continuando com os ensinamentos que Dalai Lama nos oferece, ele faz uma analogia com o corpo e a mente, dizendo que da mesma forma que cuidamos do corpo para manter a saúde e o bem-estar, devemos cuidar de nossas emoções para manter a mente equilibrada e a consequente paz interior.

“As emoções negativas – como raiva, ódio, medo – são destrutivas, destroem a paz interior. E só podem ser combatidas pelas emoções positivas, construtivas, como compaixão, paciência Assim como, numa doença,  identificamos o que faz mal ao nosso corpo para combatê-lo, tornando o sistema imunológico mais forte, primeiro temos que identificar qual é a emoção negativa e procurar qual emoção é o antídoto para ela. É assim que se treina a mente. Assim como cuidamos da higiene do nosso corpo, precisamos cuidar da higiene das nossas emoções.”

O que podemos aprender com cada sentimento

Aprender a olhar para nossos sentimentos e compreender porque eles aparecem é um passo importante. Ao identificar de onde se originaram, podemos nos libertar do seu jugo, compreendendo que os momentos quando eles surgiram não existem agora. Ou seja, se alguém disse ou fez algo que feriu seus sentimentos, ou repetiu frases de desvalorização para você, se palavras ou ações bloquearam a sua criatividade, o seu entusiasmo, a sua motivação, faça esse esforço para compreender que aquele momento passado não é o momento presente, que você não é a mesma pessoa daquela ocasião, você mudou, os tempos mudaram, e certamente, a outra pessoa envolvida também mudou.

Desvincule-se desses sentimentos pesados que o jogam para baixo, recomece. Nunca é tarde, sempre é tempo de recomeçar, sempre é tempo de aprender, sobretudo quando se trata de aprender a viver a vida em plenitude, com satisfação, sentindo a cada dia o doce gosto da vitória!

 

Noemi C. Carvalho



Categorias:Emoções

Tags:, , , , , , , , , ,

1 resposta

  1. excelente

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: