Apolo 11: um pequeno passo para um homem, um salto gigante para a humanidade

A humanidade entra numa nova era

Nas rádios, uma música arrebatava corações e mentes trazendo a promessa-desejo de uma nova era.

“Quando a lua estiver na sétima casa, e Júpiter alinhado com Marte,

Então a paz guiará os planetas, e o Amor comandará as estrelas.”

Era é o amanhecer da Era de Aquário.

Um mundo caótico, cheio de conflitos, repleto de esperança

O mundo parecia estar à beira do abismo. No Vietnã, milhares de pessoas morriam em nome de uma fria guerra que dividia e atemorizava a todos. Nos Estados Unidos, conflitos raciais dividiam uma nação já dividida.

Jovens em todo o mundo buscam um novo e diferente mundo através da música, fazendo brotar, em Woodstock, um festival que em três dias reuniu 400 mil jovens, afirmando a colorida e alegre filosofia hippie que se espalhou pelo mundo. No Brasil, a Jovem Guarda e o Tropicalismo confrontavam o mais severo regime de governo do país.

Eu era uma criança que já ouvia os Beatles e os Rolling Stones e também as notícias que o rádio e a TV traziam para minha casa. E é claro que elas também chegavam através das “bancas de revista… que nos enchia de alegria e preguiça, pois quem lia tanta notícia…”

Em meio a esse turbilhão, um acontecimento superou todas as guerras, conflitos e agitações sociais.

“Houston, a Águia pousou”

Era 20 de julho de 1969. Percorrendo o espaço, os astronautas Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Michael Collins.

O mundo olhava para o alto e pela TV acompanhava um evento aguardado há muito tempo. Muitos acreditavam que o mundo iria acabar quando isso acontecesse, para outros aquilo apenas era uma peça de propaganda americana, outros maravilhados pela tecnologia viam a concretização da evolução da humanidade. E havia aqueles que percebiam no fato o início de transformações profundas que iriam ocorrer em função das pesquisas e desenvolvimento daquele programa.

Imperceptível aos olhos, um pequeno objeto a 400 mil quilômetros da Terra, desafiava a imaginação e iniciava sua descida rumo à Lua.

Em sua trajetória descendente, o computador do módulo lunar apresenta problemas, alarmes disparam, os astronautas constatam que o combustível rapidamente se esgota e que haviam passado 6,5 km do local planejado para a alunissagem.

Do comando da missão vem a ordem: “Sinal verde Eagle,  sinal verde para o pouso…”. O sistema funcionava precisamente como previsto. Os alarmes sinalizavam que o computador apresentava sobrecarga: ele realizava tantas tarefas simultâneas e eram tantos e incontáveis os sinais sendo gerados, que mesmo o computador tinha dificuldade de lidar com todos.

Superando todas as dificuldades, inclusive a necessidade de usar os controles manuais para a descida, logo a voz de Neil Armstrong confiante, calma e clara declara: “Houston, aqui é a base da Tranquilidade. A Eagle pousou.”

Poucas horas após a chegada, a cabine do módulo lunar foi despressurizada, os dois astronautas em seus trajes espaciais estavam prontos para sair. A escotilha é aberta, Armstrong desce a escada externa. No pé da escada, ele diz: “Eu vou pisar fora do ML agora”. Virou-se, colocou seu pé na superfície lunar, e transmitiu a memorável frase:

“É um pequeno passo para um homem, um salto gigante para a humanidade”.

Pela primeira vez em sua história, o homem havia pisado um chão que não era sua Terra. Foi difícil dormir naquela noite, depois de ver pegadas humanas marcando o solo lunar. Como poderia o poeta inspirar-se agora, depois de sua musa ter sido desvelada aos olhos todos?

Ainda resta esperança

Passaram-se 50 anos, os corações e mentes envelheceram. O mundo ainda apresenta muitos conflitos e injustiças. Em toda parte vemos povos divididos e em constante disputa.

Que saudade do tempo que música e ciência nos apresentavam esperança e apontavam caminhos para a paz.

Ainda é tempo vamos deixar a luz do Sol entrar e iluminar nossas mentes.

 

José Batista de Carvalho

 

com informações de:

– Moon Shot: The Inside Story of America’s race to the Moon escrito por Donald “Deke” Slayton (Turner Publishing). Copyright International Press Syndicate

 

referências musicais:

– “Aquarius/Let the Sunshine In” – compositores: James Rado, Gerome Ragni e Galt MacDermot

– Alegria, Alegria – Compositor: Caetano Emmanuel Viana Teles Veloso –  © Warner/Chappell Music, Inc

Anúncios


Categorias:Variedades

Tags:, , , , , , ,

1 resposta

  1. gostei

    Curtir

Deixe uma resposta para Filipa Ramos Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: