Dopey: o podcast que é uma história de superação e solidariedade

Quando dois ex-dependentes de heroína começaram um podcast para compartilhar histórias alucinantes sobre drogas, eles não tinham ideia do sucesso – nem da tragédia – que esperava por eles.”

Assim começa e reportagem da BBC News Brasil

Dave, hoje com 40 anos e que tem dois filhos com sua companheira Linda, contou um pouco sobre sua vida e os motivos que o levaram a produzir o podcast Dopey .

Dopey, numa tradução livre, quer dizer “drogado”. Essa era a condição de Dave e Chris, que se tornaram grandes amigos depois de se conhecerem num centro de reabilitação.

Dave, usuário de heroína por quinze anos, já estava há quatro meses sem usar drogas. Chris começou com bebidas alcoólicas aos 11 anos e acabou  também usando heroína e metadona, e estava livre do vício há um ano e meio.

Eles tiveram a ideia de fazer um podcast que falasse abertamente sobre os problemas das drogas, procurando responder perguntas como: “Como eles conseguiram sair dessa? Por que eles fizeram isso?”, com uma abordagem direta e franca, que eles não encontraram quando sentiram necessidade de ajuda na difícil tarefa de se libertar de seus vícios.

Uma ideia despretensiosa que se tornou um sucesso

Em 2016, eles gravaram o primeiro – achando que talvez seria o único – episódio, na casa de Dave, usando seu laptop. Começaram a empreitada  contando suas histórias e peripécias, como prática de roubo e fugas de centros de reabilitação, com naturalidade e bom humor.

O programa começou a se tornar um sucesso nos Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Austrália e Nova Zelândia, constituindo uma rede informal de apoio não só para viciados, mas também para amigos e familiares. Além disso, Dave fala de outro grupo de ouvintes, que ele chama de “voyeurs”: pessoas que ouvem relatos de dependentes químicos “porque é ilegal, é perigoso, é um tabu… Histórias de drogas são sempre muito divertidas, na maior parte, até você chegar às consequências.”

Com o tempo e a descontração frente ao microfone, Dave passou a terminar cada episódio com a frase “Fique firme, nação Dopey”, enquanto Chris se despedia com um “Toodles”, um jeito informal de se despedir, ao que Dave sempre retrucava: “Por favor, pare de dizer ‘toodles”. Frase que os ouvintes acabavam escutando várias vezes, à medida que o som ia baixando.

Superar trágicos acontecimentos para continuar ajudando a vida de outros

Chris começou um doutorado em psicologia, tinha vários estágios em andamento e começou a se distanciar do programa. Até que um dia, “A pior coisa que poderia acontecer, aconteceu. Chris teve uma recaída e morreu”, em Julho de 2018.

Dave explicou aos ouvintes que não sabia da recaída de Chris. Cerca de um mês antes, outro amigo – Todd – também havia morrido de overdose. Mesmo assim, ele decidiu superar o choque e a dor e continuar com o programa, recebendo muitas mensagens de incentivo dos ouvintes.

O gerente do restaurante onde Dave trabalha há onze anos, Charles de La Cruz, lembra de quando ele teve uma recaída: “Era uma estrada escura, era sombrio. Mas agora ele está usando suas experiências para ajudar outras pessoas. Eu acho incrível.”

Seu pai lembra do pior momento que viveu, quando Dave foi levado para a reabilitação: o filho havia rabiscado as palavras “me ajude” nas paredes.

Dave reconhece todo o apoio que tem de seu pai, de sua companheira, de seus colegas. “O Dopey não é uma cura. Eu vejo como um programa de entrevistas para viciados, para fazer companhia a eles e fazê-los se sentirem menos sozinhos.”, diz ele.

Ao final dos programas, Dave agora se despede assim: “Nação Dopey, fique firme. E toodles por Chris.”

 

A reportagem completa pode ser lida neste link da BBC News Brasil

 

 

Você pode se interessar também por:


 

Anúncios


Categorias:Variedades

Tags:, , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: