Vamos “batizar” os filhotes de suricata do zoo de São Paulo?

Dê seu voto também, na votação online, pelo site do Zoológico.

No mês de Julho, uma oncinha resgatada com apenas 15 dias de vida, encontrada na região de Campinas – São Paulo, estava à procura de um nome. Terminada a votação promovida pela Prefeitura de São Paulo, a pequena onça-parda foi batizada com o nome de Marsha.

Agora é a vez do Zoológico de São Paulo ajudar John e Juliana, os orgulhosos papais suricatas, a “batizarem” seus quatro filhotinhos, que nasceram em Agosto, pesando cerca de 30 gramas cada um.

São três machos e uma fêmea, que além dos cuidados dos funcionários do zoológico, são mimados por todos os nove membros da família – entre os pais e irmãos mais velhos – que se revezam para cuidar dos bebês suricatas.

Algumas curiosidades sobre os suricatas.

  • os suricatas também são conhecidos como suricate ou suricato
  • ficaram mundialmente conhecidos pelo seu representante no cinema, o “Timão” do filme de animação “O Rei Leão”, só que, diferente do personagem, na vida real vivem em colônias de até 40 indivíduos, onde apenas o casal dominante se reproduz
  • mas como o “Timão” eles conseguem ficar mesmo de pé nas patas traseiras, usando a cauda como terceiro apoio
  • os adultos medem entre 22 e 28 cm de altura em pé, comprimento que com a cauda chega a cerca de 50 cm, e pesam, em média, 720 gramas
  • a gestação dura cerca de 11 semanas, nascendo entre 3 a 4 filhotes com cerca de 30 gramas e toda a família ajuda na criação dos bebês
  • eles têm hábitos diurnos e se alimentam principalmente de insetos, mas no zoológico a dieta é complementada também com catalonha, cenoura, pera, maçã, batata doce e ração
  • constroem um sistema de tocas/túneis com várias entradas que se comunicam entre si e defendem o território com muita valentia, apesar do “pequenino tamanho”, já que um adulto pesa, em média, pouco mais de 700 gramas
  • a distribuição geográfica da espécie abrange a Botsuana, África do Sul, Angola e Namíbia, ocupando regiões de savana e áreas desérticas do continente africano
  • seu sistema social é bastante complexo. Cada membro do grupo tem uma função específica. Uma dessas funções é o de sentinela, responsável por ficar atento a tudo o que acontece ao redor. Ao menor sinal de perigo, emite uma espécie de “latido” avisando aos outros membros do grupo para que se escondam até que o perigo se afaste

Vamos batizar os filhotes?

Os nomes foram sugeridos pelos técnicos e todos são de origem africana – uma homenagem ao continente de ocorrência da espécie. Serão selecionados os quatro nomes mais votados, três nomes para os machos e um para a fêmea. A divulgação do resultado será no dia 12 de outubro, Dia das Crianças.

Participe da votação online, pelo site do Zoológico, onde você vai encontrar os nomes para votação e seus significados, todos de origem africana – uma homenagem ao continente de origem da espécie. Eu já votei!

 

com informações de Zoológico de São Paulo e Prefeitura de São Paulo

Anúncios


Categorias:Variedades

Tags:, ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: