O sofrimento é a dor da alma

O sofrimento é um sentimento angustiado que pode ou não ter uma causa percebida.

O sofrimento pode ser uma tensão emocional provocada por um acontecimento importante, como uma separação amorosa, a perda do emprego ou a morte de alguém próximo. Casos assim precisam de um tempo para a cura, mas na maioria das vezes são superados sem a necessidade de maiores cuidados.

Por outro lado, quando passamos por acontecimentos que causam um abalo emocional muito forte, ou quando começa a acontecer uma sucessão de vários eventos que nos causam tristeza e mágoa, talvez só aguardar o tempo pode não trazer o resultado necessário para voltarmos ao nosso bem-estar.

Logo que percebemos que nosso estado emocional não está melhorando, é conveniente procurarmos meios de estancar o sangramento de nossas emoções e cicatrizar as nossas feridas, tratando das dores da alma.

A dor emocional precisa de cuidados.

A dor sentida emocionalmente pode provocar um sentimento de prostração, uma apatia perante a vida, que afeta diretamente nossa autoestima. Quando vai sendo alimentada por novas situações ou pela ruminação de nossos pensamentos, pode acabar levando a uma angústia mais profunda, pode terminar na temida depressão.

A depressão é um estado emocional difícil de ser percebido e identificado. Profissionais da área de saúde emocional são unânimes no que diz respeito à dificuldade que existe para a pessoa que está deprimida, bem como para as pessoas de seu convívio, perceberem e identificarem o quadro que pode sugerir um estado depressivo. Talvez essa seja uma das causas pela qual poucas pessoas buscam tratamento.

Somado a isso, outro fator de grande importância é o preconceito em relação ao assunto, fato também ressaltado pelos profissionais da área. Ainda existe uma forte conotação relacionada à vergonha em se admitir uma instabilidade emocional profunda, principalmente por parte dos homens, uma vez que a manifestação de sentimentos é socialmente vista como sinal de fraqueza.

Em muitos casos, por desconhecimento, falta de observação ou vergonha, a escolha feita é conviver com um sofrimento que pode acabar com a vida, ao invés de procurar um tratamento que pode acabar com o sofrimento.

O papel do sofrimento na nossa vida.

Trigueirinho deixou diversas obras cujo fundamento é estimular a ampliação da consciência humana e liberá-la dos vínculos que a mantêm presa a aspectos materiais da existência, externos ou internos, abordando temas como o autoconhecimento, a oração, a instrução e a transformação espiritual.

Numa de suas exposições sobre a questão do sofrimento e sua dimensão na vida dos seres humanos, ele cita que “o sofrimento, embora não faça parte do Propósito de Deus, é inerente à personalidade do homem por causa de suas ligações com o passado e do exercício da força do desejo ainda não elevado por objetivos superiores.

A energia própria da alma é a Alegria, um estado de ser totalmente unificado com o propósito da Criação. Circunstancialmente, entretanto, enquanto o indivíduo está vivo, o sofrimento e a dor, em seus vários aspectos, fazem parte de sua vida. Compreender suas causas até onde seja possível e remover ou transmutar os elementos que os vitalizam e mantêm deveria ser uma das metas visualizadas pelos seres.

Quando a humanidade conseguir elevar o próprio desejo para objetivos superiores, evolutivos, que transcendem as necessidades normais e comuns criadas pela imaginação ou pelos condicionamentos do passado e, principalmente, quando dispensar o que é supérfluo, luxuoso e paliativo, o sofrimento humano diminuirá o quanto for permitido pela lei cíclica.

O sofrimento e a dor têm funções espirituais, morais e físicas para o homem. O valor espiritual e evolutivo do sofrimento e da dor encontra-se no fato de o homem ser por eles levado a concentrar suas forças mentais em descobrir o motivo que o levou a tê-los e ser, com isso, ajudado a se desidentificar de seu próprio ego humano, núcleo cheio de vícios e de hábitos a serem superados.

Do ponto de vista moral, pode-se dizer que não existe no homem um caráter amadurecido e firme se ele não tiver ainda enfrentado estágios de sofrimento e de dor.

Do ponto de vista evolutivo e espiritual, o sofrimento e a dor, quando aceitos, são fatores que impulsionam o progresso; quando, porém, são rejeitados pelas camadas superficiais do ser, deixam de produzir esse efeito e passam a constituir apenas uma purificação de resíduos de ações, sentimentos e pensamentos negativos.

Uma importante tarefa da atuação da dor encontra-se em um estágio sutil do desenvolvimento da consciência no qual o sofrimento passa por uma metamorfose e aparece como um sentimento de conforto nunca antes experimentado, nem mesmo dentro da maior felicidade que possa ter estado ao alcance do ser: ele aprende a perceber que a Alegria divina existe em qualquer situação e que pode fazer-se ainda mais visível nos momentos dos quais parecia estar ausente.”

Como curar a tristeza da alma.

Se procuramos médicos para tratar de uma dor estômago ou de um braço quebrado, por que não dar o mesmo tratamento às emoções doídas e esfaceladas?

Cada pessoa tem uma forma diferente de assimilar e reagir a eventos negativos, um jeito particular de processar desilusões, frustrações e fracassos. É claro que o fortalecimento da personalidade acontece com a superação de problemas e dificuldades. Mas às vezes, se o tombo é grande, precisamos de uma mão que nos ajude para levantar do chão.

Os constantes avanços tecnológicos trazem cada vez mais novas descobertas na área da medicina, possibilitando melhor entendimento e tratamentos mais adequados para manutenção da saúde. Sabe-se, atualmente, que desequilíbrios bioquímicos das substâncias químicas naturais presentes no organismo afetam a produção dos elementos necessários a uma perfeita harmonia existencial. Novos tratamentos envolvendo uso de medicamentos são capazes de regular o equilíbrio desse complexo e delicado sistema que é o corpo humano.

Aproveitar cada vez mais e melhor a vida depende da sua iniciativa.

Por isso, se você não consegue entender porque é que você às vezes fica tão para baixo, se você tenta se sentir bem e não consegue, é porque pode não ser tão simples assim. Avalie, seja sincero com você, veja se é o momento de procurar uma orientação profissional.

Se tiver dificuldade, peça a alguém que tenha contato com você no dia a dia para ajudar a fazer um apanhado das suas atitudes, das suas reações. É difícil, muitas vezes, perceber sozinhos. O olhar do outro pode identificar atitudes e comportamentos que a própria pessoa não consegue perceber.

Se as pessoas que convivem ao seu lado não lhe oferecerem ajuda ou não mostrarem preocupação, é porque também para quem está ao lado pode ser difícil ter essa noção. Os sinais – quando não são muito intensos e específicos – são facilmente confundidos com irritação, “um dia ruim”, um aborrecimento do qual não se quer falar, e coisas do tipo.

Uma dor de cabeça, um resfriado, uma torção no pé são bem mais fáceis de perceber. Por isso redobre a atenção. Quanto antes você cuidar da sua saúde emocional, mais tempo você vai ter para aproveitar a vida.

Mesmo que você não possa arcar com despesas particulares, procure em sua cidade uma instituição governamental ou não, que pode lhe dar orientações e, se for o caso, os cuidados necessários.

A perfeição da vida consiste em aceitarmos nossas imperfeições.

Se você está passando por um período de sofrimento emocional, saiba que reconhecer o desequilíbrio das emoções não é vergonha, não é fraqueza. É cuidar do bem-estar, é cuidar da vida.

Quando éramos crianças queríamos crescer para sermos independentes. Crescemos e ganhamos autonomia. Mas a “in”dependência precisa dessa atitude “in” – olhar para dentro, descobrir-se, aceitar grandezas e fraquezas, entender que fraqueza não é erro, que erro não é fracasso, são apenas aprendizados e qualidades em graus diferentes de desenvolvimento.

E ninguém,está aqui para ser perfeito em tudo. Estamos aqui para buscar o caminho do aprimoramento e para desenvolver nossas qualidades ou, talvez, para desenvolver justamente nossas não-qualidades.

É difícil, é árduo, é trabalhoso, mas não é impossível. Vocês acham que está sozinho? Não está. Coloque as palavras “tristeza”, “angústia”, “depressão” na internet e veja quantas pessoas estão ao seu lado: psicólogos, psiquiatras, sites de notícias, de informação, entidades privadas e governamentais, todos têm uma palavra de conforto, de esperança, de motivação, de coragem, de fé.

Você não está só: todos estamos ao seu lado, torcendo por você! A vida está aí para ser vivida, com todas as suas alegrias e todas as suas dores, que terminando seu ciclo, vão trazer novas alegrias.

 

Noemi C. Carvalho

 

**Precisando conversar ligue 188, 24 horas todos os dias ou acesse CVV **

 

 


LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

Também nas redes sociais: PinterestFacebook – Instagram – Twitter


 



Categorias:Emoções

Tags:, , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: