Temos que deixar de lado tudo o que nos limita

Procuramos nos adequar para sentir segurança e aceitação.

O sentimento de pertencimento, ou seja, a necessidade de nos sentirmos aceitos e integrados a um grupo de convívio, por vezes nos leva a ter atitudes direcionadas a esse objetivo, ainda que elas não expressem a nossa verdadeira natureza pessoal.

A necessidade de aceitação e reconhecimento pode levar à criação de vínculos de dependência que tolhem a livre expressão pessoal, que acaba se reprimindo por medo de julgamentos e “castigos” e pela exclusão do grupo.

Procuramos nos adequar ao grupo, saímos de casa vestidos com nossas máscaras, deixando oculto e acuado nosso ser verdadeiro.

Uma metáfora sobre a liberdade existencial.

Isso lhe trouxe algo à lembrança? Sim, é o que retrata a célebre história de “Fernão Capelo Gaivota escrito por Richard Bach, que discorre sobre a não aceitação da individualidade e da busca de aprimoramento, a segregação e o banimento motivados pela manutenção do status-quo refratário ao anseio evolutivo.

Em que pesasse a incompreensão manifestada pelo bando a que pertencia, o jovem aprendiz seguiu o chamamento interior para descortinar novos horizontes, romper barreiras e limites.

Em resumo, depois de ultrapassar sucessivos estágios de aprimoramento, as palavras de seu professor “Fernão, continua a trabalhar no amor“, revelam a necessidade não só de aprender, mas de compartilhar o aprendizado, passando pela inerente capacidade de perdoar para retornar àqueles que o rechaçaram.


A incompreensão, indiscutivelmente, é assim como a treva perante a luz, entretanto, se a vocação da claridade te assinala o íntimo, prossegue combatendo as sombras, nos menores recantos de teu caminho.

Não te esqueças, porém, da lei do auxílio e observa-lhe os princípios, antes da ação. Descer para ajudar é a arte divina de quantos alcançaram conscienciosamente a vida mais alta.

Que seria de nós se Jesus não houvesse apagado a própria claridade fazendo-se à semelhança de nossa fraqueza, para que lhe testemunhássemos a missão redentora? Aprendamos com ele a descer, auxiliando sem prejuízo de nós mesmos.

E, nesse sentido, não podemos esquecer a expressiva declaração de Paulo de Tarso quando afirma que, para a vitória do bem, se fez fraco para os fracos, fazendo-se tudo para todos, a fim de, por todos os meios, chegar a erguer alguns.”

Emmanuel – psicografado por Chico Xavier


Alçamos o voo da evolução rumo ao amor divino.

Não é esse sempre o caminho evolutivo da humanidade? E para que ela se realize, a despeito dos opositores que possam surgir pela frente, a confiança nos caminhos apontados é primordial.

Os grandes mestres das revelações espirituais atestam, em suas histórias de vida, os percalços que tiveram em suas jornadas, superados pelo amor que  lhes incutia o desenvolvimento de suas obras.

Tomemos os seus exemplos e que em nossa existência possamos preencher cada dia com o amor que sempre recebemos da inesgotável fonte divina, multiplicando-o e concedendo-o a todos sem distinção.

 

Noemi C. Carvalho

 

 


LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

Também nas redes sociais: Facebook – Instagram – PinterestTwitter


 



Categorias:Autoconhecimento

Tags:, , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: