QA e autoconhecimento: quando o profissional e o pessoal se encontram

A convergência das mudanças globais, tanto no âmbito profissional como no pessoal.

Tenho visto algumas notícias que falam de QA – o Quociente de Adaptabilidade. É um parâmetro para análise e avaliação tanto do desempenho de empresas e, principalmente, para qualificação de funcionários.

Achei interessante a forma como as tendências atuais do mercado de trabalho evoluem e o rumo que tomam, demonstrando uma aproximação cada vez maior daquilo que chamamos autoconhecimento.

É interessante, também, notar como as orientações dos profissionais da área para desenvolvimento do QA condizem com as orientações para um programa de desenvolvimento pessoal, o que iremos verificar ao longo do texto.

Desta forma, podemos tirar ao menos duas conclusões, sobre a importância de se dedicar ao autoconhecimento:

1 – quem está no mercado de trabalho, melhora suas possibilidade de fazer carreira, antecipando-se às novas exigências profissionais

2 – quem já está afastado de atividades profissionais pode constatar a convergência mundial para o autoconhecimento, demonstrando sua importância como uma transformação global

Os parâmetros usados para avaliação profissional.

Num breve histórico, podemos acompanhar a alteração das avaliações que eram antes feitas apenas com base no teste de QI – o Quociente de Inteligência – onde se mede memória, pensamento analítico e capacidade matemática.

Recentemente, as empresas começaram a dar uma atenção maior ao QE – o Quociente Emocional, ou inteligência emocional – onde se consideram o conjunto de habilidades pessoais como confiança, empatia, controle emocional.

Atualmente, à medida em que a tecnologia redefine a forma de trabalhar e exige mudanças rápidas e frequentes, surgiu o QA – Quociente de Adaptabilidade – que avalia justamente a capacidade de responder de maneira rápida e eficiente à constante alteração dos cenários modernos.

Segundo Natalie Fratto, vice-presidente da Goldman Sachs em Nova York – importante e tradicional grupo financeiro multinacional, fundado em 1869 – o QA não é apenas a capacidade de absorver novas informações, mas a capacidade de descobrir o que é relevante, desaprender conhecimentos obsoletos, superar desafios e fazer um esforço consciente para mudar. Também envolve habilidades de flexibilidade, curiosidade, coragem, resiliência e resolução de problemas.

A relação que existe entre QA e o autoconhecimento.

Os especialistas dizem que mesmo que você não possa mensurar o QA, pode trabalhar para desenvolvê-lo. Vamos, então, fazer uma comparação, a partir do conceito acima, vendo como ele se relaciona com o autoconhecimento:

Capacidade de descobrir o que é relevante, desaprender conhecimentos obsoletos, superar desafios e fazer um esforço consciente para mudar. Habilidades de flexibilidade, curiosidade, coragem, resiliência e resolução de problemas.”

Capacidades

1 – descobrir o que é relevante

O  primeiro passo é estar disponível a novas informações. Desse conjunto de  informações, vamos considerar quais são relevantes, ou seja, quais novas informações acreditamos que podem fazer uma diferença substancial se as incorporarmos e aplicarmos em nossa vida. Quais delas despertaram nosso interesse, o que achamos interessante e, geralmente, acaba chegando até nós de várias fontes diferentes.

2 – desaprender conhecimentos obsoletos

Quando percebemos que podemos usar uma nova informação, conceito ou ideia, precisamos liberar espaço mental para acomodá-la. É o desapego do modo de pensar que percebemos que pode ser transformado para melhorar nossa vida, e assim podermos ativar nossa capacidade de “absorver novas informações”.

É preciso nos liberarmos daquilo que chamamos de sistema de crenças que é, simplesmente, aquilo em que acreditamos ou fomos levados a acreditar durante toda nossa vida, principalmente conceituações sobre nós mesmos e sobre a vida – como sermos incapazes, destinados ao fracasso e à infelicidade, a vida é difícil, conseguir alguma coisa que queremos é uma luta, e pensamentos similares, de tom negativo, pejorativo e tóxico.

3 – superar desafios

Ao primeiro contato que temos com novas ideias que podem melhorar nosso modo de viver e nos trazer mais felicidade, tudo parece maravilhoso, ficamos empolgados e logo começamos a colocar em prática as indicações e orientações que vão mudar radicalmente a nossa vida.

Quando começamos a perceber que não é tão fácil modificar algumas crenças e atitudes costumeiras, tendemos a desanimar, achamos que é tudo bobagem que não adianta nada, não funciona ou nós é que somos incapazes de fazer direito.

Não é nada disso. Essas são dificuldades que todos enfrentam, em maior ou menor grau. São os desafios da transformação de hábitos antigos. Vícios, quer sejam físicos ou mentais, precisam de esforço, paciência e compreensão para serem superados.

4 – fazer esforço consciente para mudar

Os três itens anteriores só vão acontecer a partir de uma decisão consciente e de um esforço permanente para conseguir alcançar aquilo que você deseja. Dedique um tempo todos os dias a atividades para seu autodesenvolvimento. Faça disso um compromisso, estabeleça alguns minutos que sejam num determinado horário que você possa cumprir.

Vale a pena deixar claro que “aquilo que você deseja”, neste caso, não é conseguir um bom trabalho, ter um carro zero, comprar o celular de última geração, viajar em todos os feriados e férias, nem ter alguém para compartilhar a vida com você.

O seu desejo, a sua aspiração deve ser fazer as transformações interiores – seja modificar antigas crenças negativas, transformar sentimentos de vergonha ou medo, reconhecer e aceitar sua essência como o ser integral que você é, aproximar-se mais da espiritualidade –  que vão facilitar ou permitir que você consiga essas realizações.

Habilidades

Habilidades de flexibilidade, curiosidade, coragem, resiliência e resolução de problemas

Para desenvolver todas as capacidades acima, naturalmente essas habilidades descritas são necessárias:

  • a flexibilidade para se adaptar a novos conceitos, que vão gerar novas atitudes
  • a curiosidade de estudar e se aprofundar sempre mais nos conhecimentos relevantes para que você alcance seu objetivo de desenvolvimento pessoal
  • a coragem de se aventurar por um novo caminho, não só de conhecimento, mas de vida, que vai contra muito daquilo que, em suma, você foi durante longos anos
  • a resiliência, ou seja a capacidade de se recobrar facilmente dos reveses, lidar com problemas e superar problemas sem desistir. Em física, resiliência significa “a propriedade que alguns corpos apresentam de retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica”, o que podemos entender como voltar à nossa essência original, ao nosso ser divino, após todas as experiências que vivemos com base em nosso ego e nossa personalidade
  • a resolução de problemas mantendo a mente aberta e disponível para buscar a melhor solução, uma vez que sabemos que problemas podem e, provavelmente, vão aparecer em algum momento. Mantendo a calma e o foco na solução, evitamos que ele se avolume em nossa mente desencadeando uma série de emoções negativas que podem nos afetar por muito tempo

Mais algumas coisas

Além do que foi falado acima, algumas outras observações são importantes:

– mantenha a atenção

Fique centrado nas atividades que você estiver fazendo, seja nos estudos e meditações, como em qualquer atividades rotineira. É importante aprender a fixar-se no momento presente, no agora, porque assim você evita ansiedades por escapadas ao passado inalterável ou ao futuro incerto. E também, mantendo a atenção, as tarefas são finalizadas com mais rapidez o que permite um melhor aproveitamento do tempo.

– perdoe sempre

O perdão muitas vezes é confundido com sentimento de culpa ou humilhação. Não é nada disso. Perdoar é compreender que todos somos ainda seres imperfeitos sujeitos a cometer falhas; o perdão aos outros e a nós mesmos é libertar-se de um peso, é evitar que uma energia densa e sombria fique pairando sobre nossa vida.

– seja grato

A gratidão, como todas as outras coisas, é algo a ser praticado. Pratique a gratidão a todo momento. Comece, por exemplo, agradecendo por estar lendo estas palavras, o que demonstra que vários órgãos de seu corpo estão funcionando e interagindo para lhe possibilitar este ato tão comum. Durante seu dia existem inúmeras coisas pela quais você pode agradecer.

Algo que nunca sai de moda.

Do Templo de Apolo, na Grécia Antiga, com o “Conhece-te a ti mesmo”, ao inovadores parâmetros administrativos das empresas contemporâneas, a mesma palavra pode definir essa eterna trajetória da humanidade: autoconhecimento.

Acompanhe seu tempo. Seja sua mudança.

 

Noemi C. Carvalho

 

com informações de BBC

 

 


LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

Também nas redes sociais: Facebook – Instagram – PinterestTwitter


 



Categorias:Autoconhecimento

Tags:, , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: