Home / Emoções / A Carta de Paulo sobre o Amor

A Carta de Paulo sobre o Amor

1 Coríntios 13

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.

E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.

E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.

O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.

Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;

Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;

Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;

Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;

Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.

Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.

Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.

via Bíblia Online


 

Comentário sobre a Carta de Paulo.

Leia abaixo alguns trechos do comentário de Odalberto Domingos Casonatto. (*)

“Nesse texto, escrito em grego, Paulo proclama a superioridade do amor sobre os demais dons, carismas e virtudes humanas. A comunidade cristã de Corinto estava se dividindo, retornando aos costumes dos pagãos, encaminhando-se para a licenciosidade própria de cidades portuárias helênicas, os cristãos estavam fugindo do espírito de amor, paz, solidariedade e pureza que deveria nortear os seguidores de Cristo.

O final do capítulo 12, fala dos carismas concedidos à comunidade cristã e Paulo prepara os leitores para a compreensão do dom mais precioso, que é o amor: “Procurem com zelo os dons maiores. Eu vou mostrar-lhes um caminho sobremodo excelente”. (1 Cor 12, 31).

Tal construção literária nos leva a concluir que o amor é o primeiro dom de Deus e a soma de todos os carismas. Como primícia dos dons maiores, os que mais edificam as pessoas e as comunidades, situa-se o amor. Há dons edificantes (que aproximam o homem de Deus) e dons de serviço (que realizam no mundo o projeto de Deus). O amor torna-se a síntese de todos eles.

Podemos afirmar que o fio condutor da mensagem escatológica de São Paulo é o amor de Deus, e o amor-ágape entre os homens. O amor segundo Paulo dirigindo a mensagem a comunidade de Corintos torna-se o fato gerador de toda a atividade cristã. É por esta razão que deve-se sempre agir de acordo com a inspiração divina. O apóstolo nos revela, na sua pregação e atividade pastoral, que esse princípio organizador, o amor cristão, deve ampliar-se, transcender horizontes, insuflando nas pessoas desejos de acolhida, serviço e salvação.”

(*) Odalberto Domingos Casonatto – Com doutorado em Sagradas Escrituras pela Escola Bíblica Franciscana de Jerusalém, se dedicou por muitos anos como professor de Novo Testamento no Instituto de Teologia e Pastoral de Passo Fundo, RS, e na direção e ensino no Curso de Teologia para Leigos em regime Especial de Férias. Além disso acompanhou os encontros de Biblistas do CEBI/RS e os grupos de Estudo do CEBI com palestras e Cursos. Hoje se dedica a pesquisa bíblica em especial o Novo Testamento.

via A Bíblia.org


LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

Também nas redes sociais: Facebook – Instagram – PinterestTwitter


Veja também

homem subindo um monte com uma grande cachoeira atrás como se tivesse emoções destrutivas

Dalai Lama explica como combater as emoções destrutivas que afetam nossa vida

Dalai Lama conversa sobre as emoções destrutivas, a responsabilidade do ego, a importância de treinar a mente e cultivar a paz de espírito. Leia aqui.

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: