Home / Autoconhecimento / A face sombria da autoestima

A face sombria da autoestima

Homem com olhar arrogante com o dedo indicador na boca exigindo silêncio demonstrando a face sombria da autoestima
A face sombria da autoestima.

O desenvolvimento da autoestima pode extrapolar limites.

Pouco se conhece sobre a face sombria da autoestima. Cada vez mais vemos as pessoas buscando melhorar a sua autoestima e a autoavaliação que fazem de si mesmas.

Porém, um aspecto sombrio pode surgir no trabalho para o desenvolvimento da autoestima. E isto, apesar de ser muito importante, é pouco mencionado.

Ainda que pareça um contrassenso, pode existir um aspecto sombrio da autoestima. Este se manifesta quando a pessoa se ilude desenvolvendo a vaidade e o egoísmo e se aproxima do narcisismo, achando-se o centro do mundo.

A excessiva valorização da autoestima pode revelar uma face sombria.

A busca de um autovalor é muito importante para a saúde física e mental de qualquer um, pois a aceitação de si próprio repercute em todas as áreas da vida de uma pessoa.

Observa-se, contudo, em muitos casos, que uma exacerbada autoestima pode ser prejudicial. Uma exagerada autoconfiança com uma indevida supervalorização do ego proporciona, na maioria das vezes, condutas e ações inconvenientes.   

Conhece-se essas pessoas pela postura que assumem. Elas circulam exibindo arrogante superioridade, buscando ser o centro das atenções em todas as oportunidades. Sempre se colocam acima do bem e do mal, refutando qualquer possibilidade de assumir seus erros, como se regras e leis não se aplicassem a elas.

A busca por superar uma baixa autoestima, portanto, não pode levar a produzir uma autoestima exagerada. Nós precisamos sempre evitar os excessos e a busca do equilíbrio deve ser o objetivo maior.

Os primeiros anos de vida são fundamentais no desenvolvimento da autoestima.

Na busca por harmonia, felicidade e realização na vida, tanto a baixa autoestima quanto uma autoestima exacerbada impossibilita que se alcancem esses objetivos.

A falta de limites é uma característica do desenvolvimento excessivo de autoestima nas crianças indisciplinadas. Elas crescem não respeitando regras e se comportam de maneira a sempre obter aquilo que desejam.

Crianças assim, que são criadas sem limites, acreditam que podem fazer e ter tudo o que desejarem, no momento que quiserem. Reizinhos que acreditam que o mundo existe para lhes servir.

A vida, porém, ensina que ser intolerante às frustrações produz muitas dificuldades.

A educação nos primeiros anos de vida é, sem sombra de dúvidas, uma das principais causas geradoras de uma autoestima insuflada, provocando, assim, atitudes egoístas e autoritárias, comportamento pedante, orgulhoso e impulsividade desmedida.

A visão exacerbada de si próprio não garante o êxito na vida.

Existe a crença que as pessoas com uma autoestima muito elevada conseguem sempre êxito e satisfação em tudo o que fazem, contudo isso não é verdadeiro.

O orgulho, característica da autoestima insuflada, irá menosprezar as oportunidades de negócios, trabalho e empreendimentos que surgirem, avaliando-as inferiores ao seu potencial, e assim desperdiçando boas oportunidades.

A visão distorcida de si próprios e a crença que podem tudo obscurece a percepção sobre os seus erros, e por isso projetam a culpa em outras pessoas. Mas ao não assumirem a sua responsabilidade, perdem a oportunidade de obter o aprendizado que tais circunstâncias possibilitam.

As relações pessoais, afetivas e profissionais de pessoas com a autoestima exacerbada são afetadas pelas desavenças causadas pelo comportamento egocêntrico que prioriza os seus interesses.

Dessa forma, levam as suas opiniões aos limites da agressividade para não serem contrariados.

O equilíbrio é essencial para que a face sombria não prevaleça.

O desenvolvimento da autoestima é mais do que simplesmente pensar bem de si mesmo e desenvolver uma forte confiança em si. O desconhecimento da face sombria da autoestima pode gerar, de fato, problemas e perigos.

Nem a baixa nem a excessiva autoestima. A sabedoria orienta buscar o equilíbrio de uma admiração positiva e benéfica de si mesmo, bem como a consideração afetuosa para com os outros.

Portanto, busque em si mesmo a energia necessária para o sadio desenvolvimento de sua autoestima e da confiança em si mesmo.

Pois quanto melhor você se sentir consigo próprio, quanto maior for o carinho do autocuidado com que você se tratar, melhores serão as suas relações.

E assim, a sua vida prosperará em todos os níveis.

José Batista de Carvalho

ASSINE GRATUITAMENTE NOSSA NEWSLETTER

1 – Insira o seu e-mail e cadastre-se.

2 – Autorize sua inscrição no e-mail de confirmação que você vai receber.
* Lembre-se de olhar as caixas de spam e de promoções.

Política de PrivacidadePolítica de Cookies Política Anti-Spam

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

Também nas redes sociais:

Facebook

Instagram

Pinterest

Twitter

YouTube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossas publicações por

e-mail

 Insira o seu e-mail para se cadastrar.

Você vai receber primeiro um e-mail para autorizar a inscrição.

Lembre-se de olhar as caixas de spam e de promoções.

Um e-mail vai ser enviado para você autorizar a sua inscrição. Lembre de olhar a caixa de spam.

%d blogueiros gostam disto: