Home / Emoções / A maior doença da vida é a falta de amor, diz o Papa Francisco

A maior doença da vida é a falta de amor, diz o Papa Francisco

falta de amor

A cura mais importante é a dos afetos.

“A maior doença da vida é a falta de amor, é não ser capaz de amar. E a cura mais importante é a dos afetos”, disse o Papa Francisco.

O Papa relembrou o episódio quando uma mulher foi curada ao tocar na túnica de Jesus. “Mais do que sua saúde, eram os seus afetos a serem comprometidos. Ela tinha perda de sangue e, de acordo com a mentalidade da época, era considerada impura. Portanto, era marginalizada, não podia ter relações, um marido, uma família e relações sociais normais. Ela vivia sozinha, com o coração ferido.

A história desta mulher sem nome, na qual todos nós podemos nos ver, é exemplar”, explicou o Papa Francisco. O texto diz que ela tinha feito muitos tratamentos, “gastando todos os seus bens sem nenhum resultado, ao contrário, só piorava.

A maior doença da vida é o câncer, a tuberculose, a pandemia? Não. É a falta de amor é não conseguir amar. Esta pobre mulher estava doente pela falta de amor. E a cura mais importante é a dos afetos”, disse o Santo Padre.

Só o amor cura a vida.

“Também nós, quantas vezes nos lançamos em remédios errados para satisfazer a nossa falta de amor? Pensamos que o que vai nos fazer felizes sejam o sucesso e o dinheiro, mas o amor não se compra, é gratuito.

Refugiamo-nos no virtual, mas o amor é concreto. Nós não nos aceitamos como somos e nos escondemos por detrás dos truques da exterioridade, mas o amor não é aparência. Procuramos soluções em magos e gurus, para depois nos encontrarmos sem dinheiro e sem paz”, declarou o Papa.

Ele disse, ainda, que muitas vezes “gostamos de ver as coisas ruins das outras pessoas. Quantas vezes caímos na tagarelice, que é fofocar sobre os outros? Que horizonte de vida é este?

Não julgue a realidade pessoal e social dos outros”, reiterou ele, “não julgue e deixe os outros viverem.

Olhe ao seu redor: você verá que tantas pessoas que vivem ao seu lado se sentem feridas e sozinhas, elas precisam se sentir amadas. Dê o passo.

Jesus lhe pede um olhar que não se detém na exterioridade, mas vai ao coração. Um olhar que não julga, mas que é acolhedor. Porque só o amor cura a vida.

Que Nossa Senhora, consoladora dos aflitos, nos ajude a levar uma carícia aos feridos no coração que encontramos em nosso caminho”, finalizou o Papa Francisco.

Fonte: Vatican News

ASSINE GRATUITAMENTE NOSSA NEWSLETTER

1 – Insira o seu e-mail e cadastre-se.

2 – Autorize sua inscrição no e-mail de confirmação que você vai receber.
* Lembre-se de olhar as caixas de spam e de promoções.

Política de PrivacidadePolítica de Cookies Política Anti-Spam

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

Também nas redes sociais:

Facebook

Instagram

Pinterest

Twitter

YouTube

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossas publicações por

e-mail

 Insira o seu e-mail para se cadastrar.

Você vai receber primeiro um e-mail para autorizar a inscrição.

Lembre-se de olhar as caixas de spam e de promoções.

Um e-mail vai ser enviado para você autorizar a sua inscrição. Lembre de olhar a caixa de spam.

%d blogueiros gostam disto: