Home / Autoconhecimento / A singela oração que é um manual para a vida

A singela oração que é um manual para a vida

Silhueta de mulher com mar ao fundo e a inscrição "A singela oração que é um manual para a vida"

São Francisco nos deixou, em cada frase, um profundo ensinamento.

A Oração de São Francisco mais do que uma bela prece, é um manual para a vida. Ela nos exorta a usar os nossos melhores atributos para que possamos neutralizar os seus opostos. Assim, nos diz para levar o amor e o perdão, a união e a fé, a verdade e a esperança, a alegria e a luz para todas as pessoas, em todos os lugares, para sermos instrumentos da paz divina.

Se você quiser, pode reler esta tocante oração em nossa publicação, a “Oração de São Francisco”.

Particularmente, gosto muito dela. Recentemente, ocorreu-me a possibilidade de uma outra interpretação. Ela seria voltada não para as pessoas que nos cercam, mas para a própria pessoa que nos constitui, ou seja, nós mesmos.

Desta forma, ela também se reveste de uma especialíssima significação para aqueles que se se embrenham nas trilhas do autoconhecimento, buscando a compreensão de si mesmo para a superação das dificuldades com que se depara na vida, como um manual para a vida.

As emoções que sentimos dão a tônica de nossas atitudes ao nos relacionarmos com outras pessoas. Vemos daí a importância de aplicarmos as orientações de São Francisco para alcançarmos o equilíbrio emocional e, assim, podermos levar a paz ao mundo a partir de nossa paz interior.

Onde houver ódio, que eu leve o amor

Quando sentirmos irritação e raiva, vamos nos esforçar em apaziguar esses sentimentos antes que eles aflorem à superfície através de palavras ríspidas e provocativas. Estas podem abalar antigos relacionamentos, por em risco posições de trabalho e, inclusive, nos trazer posterior sentimento de arrependimento pela atitude precipitada ou impensada.

Onde houver ofensa, que eu leve o perdão

Se nos sentimos culpados por atitudes que tomamos que não tiveram um bom desfecho ou por ocasiões em que deixamos de agir assertivamente, vamos compreender que estamos agregando conhecimento e sabedoria à nossa vida através de nossas escolhas, perdoando, então, nossas falhas e tomando-as como aprendizado.

Onde houver discórdia, que eu leve a união

Muitas vezes ficamos divididos entre uma decisão ou outra que podemos tomar. Ficamos temerosos de fazer uma escolha que não seja a melhor, preocupados com o medo de errar. Mantendo a mente serena, poderemos avaliar cada escolha e as consequências que elas podem desencadear. E, então, poderemos definir com maior segurança qual a mais apropriada para a ocasião.

Onde houver dúvida, que eu leve a fé

Nos momentos em que nosso entusiasmo arrefece, quando nossa estima interior fica em baixa e nossa confiança se esvai, dediquemos alguns minutos a uma oração tecida com palavras sinceras que brotem do fundo de nosso coração, para reavivar a chama divina que nos fortalece.

Onde houver erro, que eu leve a verdade

Se por ventura nos deixamos levar pelo engano quanto a conceitos que formamos, a opiniões que constituímos tanto no âmbito pessoal ou no social, seja no familiar, no espiritual ou no profissional, vamos reavaliar deixando de lado sentimentos de vergonha, teimosia ou arrogância.

Onde houver desespero, que eu leve a esperança

Nas ocasiões em que nos depararmos com os sentimentos mais sombrios e dolorosos, que tenhamos o conforto daquele longo suspiro que nos dá um pouco mais de fôlego e dá tempo para que esses sombrios sentimentos se esvaneçam aos poucos, dando lugar à consoladora esperança.

Onde houver tristeza, que eu leve a alegria

Quando a tristeza se apoderar de nosso ser, que tenhamos o desprendimento, a força e a vontade de sairmos desse estado, num esforço para mantermos a positividade e o bom ânimo, de modo que as boas emoções irradiem, suavizando e alegrando outros corações.

Onde houver trevas, que eu leve a luz

Se sentirmos que estamos sendo arrebatados por fortes ondas de negativismo, vamos nos empenhar para nos libertamos o quanto antes. Ainda que o momento atual seja de dificuldade, a gratidão por todos os bons acontecimentos que experimentamos ao longo da vida, bem como a gratidão pelo que de bom ainda temos hoje em nossa vida, é o melhor modo de apaziguar a mente e de trazer conforto e esperança ao coração.

Fazei que eu procure mais consolar, que ser consolado; Compreender, que ser compreendido; Amar, que ser amado.

Por fim, em qualquer situação que se apresente, ainda que também estejamos diretamente envolvidos com o que ela desencadeou, vamos dedicar nossa energia a consolar, compreender e amar, sem esperar ou exigir a mesma consideração.

Pois é dando, que se recebe,
É perdoando, que se é perdoado,
E é morrendo que se vive para a Vida Eterna.

Pois tudo que damos de boa vontade nos é divinamente retribuído. Ao compreendermos e perdoarmos, alcançamos melhor compreensão de nós mesmos. E depurando nossos sentimentos, pensamentos e atitudes podemos ter dias com mais paz e harmonia.

E é morrendo para o nosso velho eu que renascemos para nossa essência.

Noemi C. Carvalho

ASSINE GRATUITAMENTE NOSSA NEWSLETTER

1 – Insira o seu e-mail e cadastre-se.

2 – Autorize sua inscrição no e-mail de confirmação que você vai receber.
* Lembre-se de olhar as caixas de spam e de promoções.

Política de PrivacidadePolítica de Cookies Política Anti-Spam

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

Também nas redes sociais:

Facebook

Instagram

Pinterest

Twitter

YouTube

3 Comentários

  1. Laurinda Gonçalves

    Muito bem visto!

  2. Filipa Ramos

    sabe que a escrita é curativa??

  3. Filipa Ramos

    gosto disto

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossas publicações por

e-mail

 Insira o seu e-mail para se cadastrar.

Você vai receber primeiro um e-mail para autorizar a inscrição.

Lembre-se de olhar as caixas de spam e de promoções.

Um e-mail vai ser enviado para você autorizar a sua inscrição. Lembre de olhar a caixa de spam.

%d blogueiros gostam disto: