Home / Comportamento / Ação Social / Animais de estimação: como cuidar deles no isolamento

Animais de estimação: como cuidar deles no isolamento

animais de estimação isolamento

Para conter a propagação da pandemia do coronavírus muitas medidas de proteção precisam ser tomadas, mudando a rotina de todo mundo. Como cuidar dos animais de estimação durante o isolamento social? Leia no texto abaixo as recomendações dos pesquisadores do Laboratório de Etologia Canina da USP.

O que fazer com nossos melhores amigos em tempos da pandemia da covid-19?

Até o momento, todas as evidências mostram que o meio de transmissão do vírus que gerou e vem sustentando a pandemia acontece entre humanos, ou seja, de pessoa para pessoa. Cães e gatos não desenvolvem a covid-19. Cães e gatos não transmitem a covid-19 para pessoas.

No último dia 20 de abril, um grupo de 13 pesquisadores do Laboratório de Etologia Canina (Leca) do Instituto de Psicologia (IP) da USP, coordenado pela professora Carine Savalli, docente da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e orientadora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Experimental da USP, tornou público o documento intitulado “Cães e gatos domésticos em tempos da pandemia da covid-19”. Trata-se de um artigo cientificamente fundamentado, atualizado e de linguagem acessível, que conta ainda com o apoio de mais de 60 cientistas de diversas áreas e de outros nove laboratórios que endossam o documento.

O artigo foi elaborado com o intuito de esclarecer a situação e fornecer informações que vão garantir o bem-estar de todos: cães, gatos e pessoas. O contato com cães e gatos traz uma série de benefícios para nós, físicos, fisiológicos e psicológicos.

Segue trecho extraído do documento original.

Não existem evidências de que cães e gatos possam contrair a covid-19.

Cães, gatos e seres humanos coexistem há milhares de anos. Apesar das prováveis diferenças nos caminhos evolutivos que percorreram até se tornarem cães e gatos domésticos como os conhecemos hoje, o certo é que muito aconteceu durante a domesticação e que as pessoas e esses animais tiveram que se adaptar para tornar a convivência pacífica, harmoniosa, vantajosa, funcional e tão próxima.

Das evidências que existem até agora, o que pode ser concluído é que é preciso muito mais pesquisa para se entender o potencial que o Sars-CoV-2 possui de infectar animais não humanos.

Até o momento, podemos afirmar que cães e gatos não são fontes de infecção para outros animais nem para seres humanos. Ou seja, não existe qualquer evidência científica de que cães e gatos possam contrair a covid-19 ou transmitir o novo coronavírus humano para pessoas. O que sabemos é que o vírus é transmitido de pessoas para pessoas.

Cuidados quando levar seu cão para a rua.

O ideal é ficar em casa com seus animais de estimação. No entanto, se seu cão, por exemplo, precisa sair para urinar e/ou defecar, é necessário tomar alguns cuidados.

Primeiramente, para as pessoas, os cuidados de higiene (lavagem das mãos com sabão e uso de álcool em gel) e de proteção normais (uso de máscara e manter distância de, pelo menos, um metro de outra pessoa), indicados pelos órgãos de saúde nacionais e internacionais.

O máximo de cautela é necessário, como evitar lugares com aglomeração de pessoas, assim como períodos de maior movimentação. Além disso, por mais que não possam ser infectados, os animais podem carregar o vírus nas patas, no pelo, na coleira, no focinho e na boca, se entrarem em contato com alguma superfície contaminada, assim como as pessoas podem carregar o vírus nos sapatos, nas mãos, na roupa, nos acessórios, no celular, na boca, nariz e olhos.

Por isso, para os animais, uma medida importante é limpar principalmente as patas antes de entrar em casa: lavar com água e sabão ou sabonete neutro e secar bem depois para evitar que as patas fiquem úmidas. A coleira também deve ser lavada, de preferência com sabão e produtos bactericidas.

Consulte seu veterinário para saber o que é mais apropriado para o seu cão ou seu gato. Por último, se você sai para passear com seu animal de estimação, precisa ter em mente que poderá se aproximar e/ou ter contato com alguma outra pessoa, que pode estar infectada – essa sim será um agente de transmissão ativo da doença.

Brincar com seu pet ajuda você a ficar bem.

Durante esta pandemia, além dos cuidados de higiene e distanciamento físico-social, é preciso cuidar do sistema imunológico, manter-se ativo e cuidar da sua saúde mental. E você pode garantir tudo isso com seu animal de estimação!

Brincar com seu cão e/ou seu gato pode ser uma ótima atividade, que não somente será benéfica para seu corpo, mas também produzirá hormônios que ajudarão na sensação de bem-estar.

Ainda, a interação com seu animal de estimação é uma importante fonte de contato social. Por exemplo, acariciar seu cão e/ou seu gato, auxiliará na produção de hormônios como a ocitocina, que é conhecida como o hormônio do amor, e na redução do cortisol, um hormônio do estresse.

Ou seja, em tempos de incerteza e de crise, ter seu animal de estimação por perto, podendo você ficar em casa ou não, trará grandes benefícios para sua saúde física e mental. O vínculo afetivo que criamos com nossos cães e gatos nos ajuda a manter nosso equilíbrio emocional nesse momento.

Da mesma maneira, interagir positivamente com seu animal de estimação também ajuda na estabilidade emocional e saúde mental deles, reduzindo a ansiedade e estresse do seu cão e/ou gato juntamente com o seu.

Gatos gostam de rotina.

Para gatos, é importante que a rotina continue sem muitas mudanças. Então, se você já brincava com seu gato nas manhãs e noites após voltar do trabalho, mantenha essa rotina. Durante a tarde, período naturalmente mais ocioso para eles, deixe-os descansarem e não os acorde.

Brinquedos que estimulem a parte cognitiva e alimentar são muito interessantes: caixas com petiscos, comedouros lentos; juntamente com brincadeiras ativas feitas pelas(os) tutoras(es) e que estimulem a caça, como bolinhas de papel, varinhas com penas etc.

Permitir arranhadura em locais adequados, escovação (se o gato gostar, claro), novas tocas de papelão e um local de descanso em sua mesa de trabalho são também aspectos importantes e que podem trazer mais bem-estar nessa época em que estamos muito em casa. Esses detalhes na relação podem assegurar o bem-estar dos nossos animais.

Cães gostam de atividade.

Para cães, ensinar alguns truques novos é uma ótima forma de estimulá-los mentalmente, gastar energia e ainda aprender a se comunicar melhor com eles. Mantenha os treinos curtos e recompense com petiscos, brincadeiras e atenção

Atividades envolvendo a parte alimentar, como brinquedos recheáveis ou “quebra-cabeças” com petiscos são muito interessantes, além de atividades que estimulem seus sentidos.

Você pode, por exemplo, esconder alguns petiscos em panos, caixas ou ao redor da casa para seu cão farejar. Se vocês tinham um horário de passeio fixo, use esse momento para alguma dessas atividades ou brincadeiras!

Sempre é momento de cuidar com amor de quem também cuida de você.

Precisamos pensar nos nossos cães e gatos da mesma forma que pensaríamos nas pessoas da nossa família. Manter o bem-estar do seu animal de estimação também deve ser uma prioridade agora. É exatamente nas horas de crise que precisamos estar mais dispostos a cuidar daqueles que nos fazem tão bem.

Quando trazemos um animal para nossa casa e para nossa família, nos tornamos integralmente responsáveis por ele. Isso quer dizer que não somos somente responsáveis por garantir alimento e abrigo, mas, especialmente, que somos responsáveis por assegurar que tenham um bom bem-estar.

Mesmo em tempos de dificuldade, você é responsável pela saúde física e mental do seu animal de estimação. Não se esqueça disso. E não se esqueça que abandono é crime, assim como eutanásia de animais saudáveis.

o texto na íntegra encontra-se no Jornal da USP – por Natalia Albuquerque, pesquisadora do Laboratório de Etologia Canina do Instituto de Psicologia da USP, e outros* – acessado em 24/04/2020

* Carine Savalli, Naila Fukimoto, Adriano Affonso Mariscal, Ana Paula Pupe, Ane Magi, Carolina Wood, Eliane Obata, Flavio Ayrosa Filho, Francisco Cabral, Juliana Werneck, Mariana Hess e Michaella Andrade, do Laboratório de Etologia Canina do Instituto de Psicologia da USP.

Leia mais dicas e informações sobre alimentação, trabalho remoto, medidas de proteção e outros assuntos no Painel da pandemia: o que você precisa saber

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.
Também nas redes sociais: Facebook – Instagram – PinterestTwitter

Acompanhe as publicações inscrevendo-se para receber:
– Newsletter
– Notificações

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Cadastre-se para receber nossas publicações

Receba nossas publicações em sua caixa de e-mails

Após se cadastrar você receberá um e-mail para confirmar sua inscrição.

 

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

 

Você receberá um e-mail para confirmar sua inscrição.

%d blogueiros gostam disto: