Home / Autoconhecimento / As orientações de Dalai Lama para vencer as dificuldades

As orientações de Dalai Lama para vencer as dificuldades

Dalai Lama em seu escritório fazendo transmissão por internet onde Dalai Lama vencer dificuldades

Esperança, paz interior e compaixão para superar os problemas.

Conhecer nossas emoções, dominar a mente, praticar a solidariedade e manter a esperança. Estes foram alguns dos conselhos de Dalai Lama a um grupo de mais de 700 jovens do sudeste asiático que participaram de um encontro on-line, para superar problemas e vencer as dificuldades.

Muitas vezes é difícil evitar ter sentimentos de apreensão, tristeza, medo, principalmente quando passamos por uma situação particular muito grave ou quando nossa vida é virada do avesso por uma pandemia, como esta do coronavírus que estamos atravessando.

De todo modo, o problema realmente começa quando deixamos que essas emoções fiquem e cresçam em intensidade, dominando, então, nossos pensamentos e causando mal-estar.

“Os seres humanos são inteligentes, mas quando nossa inteligência é combinada com emoções destrutivas, os resultados podem ser destrutivos, disse Dalai Lama. “Desenvolvemos ciência e tecnologia, mas os dedicamos à guerra e à destruição, criando armas cada vez mais temíveis.

Se nossos cérebros maravilhosos estão sob o controle de emoções destrutivas, então criamos problemas para nós mesmos. Portanto, como também temos a capacidade de reduzi-los, temos a responsabilidade de resolver esses problemas.”

Compaixão, altruísmo e solidariedade.

A atual crise desencadeada pelo coronavírus, impôs limitações sobre a circulação e o trabalho, sobretudo para os grupos considerados como de maior risco em contrair a covid-19, como os idosos ou pessoas com alguma condição de saúde preexistente. Esses fatores estimularam a solidariedade, e como resultado a ajuda prestada a pessoas mais vulneráveis se multiplicou.

Dalai Lama explicou que “alguns cientistas dizem que é da natureza humana básica ser compassivo. Nós somos animais sociais e temos, portanto, um senso de comunidade. Desde nosso nascimento, estamos familiarizados com a ideia de nos preocuparmos com os outros e, além disso, cultivar ativamente o altruísmo nos dá energia.

No mundo de hoje, entretanto, há muita divisão. Pensar nos outros em termos de ‘nós’ e ‘eles’ é algo predominante, e isto leva a conflitos. Constantemente precisamos nos lembrar da unicidade da humanidade. Porque se fizéssemos isso, não haveria base para hostilidade ou derramamento de sangue.

Imagine estar perdido em algum lugar remoto e de repente ver alguém vindo em sua direção no horizonte. Você não se importaria com a raça, nacionalidade ou fé religiosa e certamente ficaria satisfeito com a alegria de encontrar outro ser humano. Fundamentalmente, os seres humanos são iguais. Nascemos da mesma maneira e morremos da mesma maneira. Temos que lembrar a unicidade que nos une.”

Esperança, propósito e felicidade interior.

“Para vencer um problema, por mais grave que seja, não há necessidade de perder a esperança, pois as dificuldades são superadas com mais facilidade se você mantiver um senso de autoconfiança.”, explicou Dalai Lama.

Ele também se referiu à importância de levar uma vida significativa, compartilhando, acima de tudo, valores humanos mais profundos com amigos, de modo a transformar a vida numa passagem proveitosa.

O consumismo e a falta de comprometimento com os recursos da natureza, a excessiva importância dada às posses supérfluas, o descaso com os sentimentos alheios, são atitudes que empobrecem o espírito, pois levam a disputas contínuas e ansiedade crescente.

Sua Santidade disse que a educação moderna existente não dá muita importância à mente e as maneiras de encontrar a paz interior. Para isto, ele recomendou combinar os benefícios do desenvolvimento material com a compreensão do funcionamento da mente. Encontrar paz de espírito envolve aprender a entender o funcionamento da mente e das emoções, preparando o terreno para o cultivo da felicidade interior.

Meditação, leitura e reflexão.

Tudo aquilo que aprendemos e conquistamos durante a nossa vida exigiu um certo empenho e esforço. Da mesa maneira, para conquistar o domínio sobre a nossa mente e conquistarmos a paz e a felicidade que queremos, também precisamos ter atitude firme.

Dalai Lama sugere a meditação para “nos ajudar a aprender a usar nossa mente. Podemos aprender a focar em diferentes tópicos para analisá-los, o que pode ser muito poderoso. As emoções destrutivas são fundamentadas na ignorância; portanto, obter uma compreensão mais profunda da realidade pode nos ajudar a combatê-las.”

De acordo com estas orientações de Dalai Lama, percebemos a importância da leitura constante de textos que nos ajudem a compreender o funcionamento de nossa mente e sua relação com nossas emoções.

Da mesma forma, buscar sempre o entendimento de nossas ações dentro de um contexto de espiritualidade, que é o que vai nos dar a indicação mais segura para que nossas atitudes sejam sempre pautadas pensando não só no nosso bem, mas também no bem ao próximo.

E ainda que as informações pareçam, no começo, difíceis de ser entendidas, nossa mente vai mantendo os registros e, com o tempo, os assuntos se tornam mais compreensíveis.

“O que você precisa fazer é ler, refletir sobre o que leu até realmente entender e depois se familiarizar com o que entendeu até obter uma experiência sólida.”, explica Dalai Lama.

Essa experiência se manifesta como a paz interior sentida a todo momento, a felicidade interior que independe das circunstâncias exteriores, a esperança que dá forças e coragem. Vamos pôr em prática as orientações de Dalai Lama para vencer as dificuldades e recomeçar sempre que for preciso.

Noemi C. Carvalho

original no site de Dalai Lama

ASSINE GRATUITAMENTE NOSSA NEWSLETTER

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 10.342 outros assinantes

Veja também

homem usando óculos sentado escrevendo está rodeado de espíritos veem tudo

Os Espíritos veem tudo o que fazemos?

Os Espíritos veem tudo o que fazemos? Eles sabem o que pensamos? Podem influenciar nossos pensamentos e ações? Leia aqui as respostas a essas e outras perguntas.

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: