Home / Emoções / Às vezes dá vontade de sumir

Às vezes dá vontade de sumir

Ficar sozinho, no silêncio, sem ninguém para nos criticar, julgar, se desentender.

Às vezes temos vontade de sumir, queremos nos fechar como uma ostra dentro de uma concha, ou virar um eremita e morar numa floresta intocada.

Infelizmente – ainda que isso possa até ter alguma remota possibilidade de acontecer – não é uma boa ideia.

São tantos os aborrecimentos que acontecem diariamente, mas se nos escondemos de nossas emoções, se nos retiramos dos nossos problemas, podemos até ter esses momentos de paz e tranquilidade. Mas eles não vão durar. Da próxima vez – e sempre tem uma próxima vez –  vamos nos sentir mal de novo.

Leia aqui: O que podemos aprender com as ostras

O melhor a fazer é ficar.

A melhor opção é aceitar os fatos e a responsabilidade de lidar com as emoções, afinal tudo na vida é aprendizado. Aprendendo a lidar com fatos desgastantes e sentimentos estressantes conseguimos, aos poucos, com treino e com muita prática, atingir níveis melhores de bem-estar, sentir aquele sossego que todos queremos.

O controle de emoções negativas é uma das virtudes a ser desenvolvida neste nosso estágio pela vida. Ressentimento, raiva, desprezo, irritação, só podem ser domados no processo de convivência porque, é claro, é fácil aplacar essas emoções se a pessoa causadora não está à nossa frente.

A vida sempre nos dá o material com o qual temos que trabalhar, e as situações que nos incomodam são, certamente, para mostrar o que temos que aprimorar. Então, como saber se controlamos o rancor, a inveja ou a raiva, se nos retirarmos para uma floresta desabitada, se estamos longe do que pode provocar esses sentimentos? Só podemos dizer que superamos o fato, que controlamos as emoções, quando estamos no ambiente onde isso acontece.

E por que submeter-se a isso, por que procurar ficar no meio da encrenca quando a vontade é de sumir? Não é por vaidade, nem para mostrar superioridade, nem para impressionar. Não é por causa dos outros, mas por causa de si mesmo. Porque essa é a única forma de viver em paz, em harmonia, com tranquilidade.

Leia aqui: Gratidão: um bom jeito para começar o dia

Aí, então, a paz vai chegar para ficar.

Quando não somos dominados pelas nossas emoções, um pensamento maldoso pode aparecer mas ele logo vai embora e não deixamos que outro tome seu lugar. Isso é sentir-se em paz.

Esse momento precisa ser valorizado, não é uma coisa à toa. É um momento importante, que deve ser reconhecido para ser fixado na mente. Como é bom não se sentir injuriado, como é bom estar em paz! De momentos em momentos, a paz vai se tornando constante.

Pensamentos, então, surgem e tentam se infiltrar para desestabilizar a paz. Mas eles flutuam ao nosso redor, como coloridas bolhas de sabão que logo explodem em gotículas refrescantes.

Noemi C. Carvalho

ASSINE GRATUITAMENTE NOSSA NEWSLETTER

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 10.291 outros assinantes

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.
Também nas redes sociais: Facebook – Instagram – PinterestTwitter

Acompanhe as publicações inscrevendo-se para receber:
– Newsletter
– Notificações

Veja também

criança olhando tristemente por uma janela demonstrando estresse emocional pandemia

O estresse emocional causado pela pandemia

É preciso cuidar do estresse emocional causado pela pandemia, sobretudo em crianças e adolescentes, para evitar uma "segunda onda", relacionada a problemas mentais.

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: