Anúncios

Como colocar em ação a Lei do Carma, ou de Causa e Efeito

As nossas ações geram uma força magnética.

Nós bem sabemos que somente colheremos aquilo que tivermos plantado. Por mais que não tenhamos consciência ou queiramos, a Lei do Carma, ou de Causa e Efeito, não tem nada de misticismo ou mistérios.

Deepak Chopra nos esclarece que “toda ação gera uma força magnética que retorna a nós da mesma forma. O que semeamos é o que colhemos.”

Esse princípio, também conhecido como Lei do Carma, pressupõe que todas as escolhas e ações sejam desenvolvidas de forma cuidadosa e racional, visando a obtenção de felicidade e bons resultados.

Para sermos felizes precisamos nos capacitar na semeadura da felicidade.

Vemos inúmeras situações desastrosas ocorrerem na vida de muitas pessoas, e a grande maioria delas justifica esses acontecimentos como “obras do acaso”, “interferência de acontecimentos externos”, “falta de sorte”, enfim, não entendem essas ocorrências como consequências naturais de escolhas feitas no passado.

Não deixe suas escolhas no automático.

O mecanismo responsável por arquitetar as escolhas, na maioria das vezes funciona de modo automático. Ele é um elaborado conjunto de reflexos condicionados, que responde automaticamente às interações que acontecem nos diversos relacionamentos, e apresenta reações previsíveis.

“Se eu o insulto, é provável que você escolha se ofender. Se eu lhe dirijo um cumprimento, é provável que você escolha se sentir grato e envaidecido. Pense bem: é sempre uma escolha.”, exemplifica Deepak Chopra.

Como podemos perceber pelo exemplo acima, nós funcionamos como um mecanismo que está constantemente escolhendo algo, elegendo uma conduta, respondendo a um estímulo, assim, mesmo sendo de forma inconsciente, é uma escolha.

Muito de nossa vida acontece como consequência das inúmeras escolhas automáticas e inconscientes que disparamos nos nossos dias.

Para comandar sua vida, você precisa comandar suas escolhas.

Para começarmos a tomar o comando de nossa vida, devemos assumir o controle de nossas escolhas, todas elas.

O trabalho de tornar consciente esse mecanismo que automaticamente responde aos estímulos deve começar com o desenvolvimento da capacidade de prestar atenção no exato momento em que vamos fazer uma escolha.

Para isso, nós tiramos essas escolhas do nosso inconsciente, trazendo-as para a consciência. Fazemos isso observando. Observamos qual é o primeiro impulso, a reação que se apresenta de forma automática.

Dessa forma, conseguimos aprimorar o mecanismo e desenvolvemos um maior controle, evitando más escolhas, isto é, atitudes impensadas que vão trazer consequências que não queremos. Conscientemente, observaremos e escolheremos como será o nosso futuro.

Como tudo em nossa vida, a prática levará ao aprimoramento e assim, no momento que tivermos que elaborar uma escolha, levaremos em conta como guias mestras de nossas ações os seguintes princípios:

1 – Essa escolha vai produzir quais consequências?

2 – O que for escolhido vai resultar em um bem não só para mim, mas vai também ser bom para as pessoas à minha volta?

Ao adotar essas premissas no momento de nossas decisões, poderemos também contar com um mecanismo que trazemos em nosso íntimo, que vai auxiliar muito: trata-se das nossas sensações físicas e emoções.

As sensações físicas também orientam as escolhas.

Temos basicamente dois tipos de sensações: boas e agradáveis, desagradáveis e negativas.

Antes de iniciarmos o processo de escolha, devemos observar o nosso corpo e ao nos perguntarmos sobre as consequências das nossas escolhas, repararmos nas sensações que aparecem. Se sentirmos paz, quietude e boas sensações, isto sinaliza que é muito grande a probabilidade de que essa é a escolha certa.

Essas sensações podem surgir na área do coração para a maioria das pessoas, mas também pode ocorrer na região do plexo solar.

Ao proceder de forma pacífica e calma, a resposta sempre surge, mesmo que seja bem suave.

Muitos podem considerar que essa mensagem que brota do coração seja um conceito sentimentalista e ingênuo. Deepak Chopra explica que “o coração é intuitivo. É holístico. É contextual. É relacional. Não se orienta por perdas e ganhos. Ele esta conectado ao computador cósmico que leva tudo em conta.”

Ponha seu coração e mente no desenvolvimento das habilidades necessárias para melhorar seu sistema de escolhas. Aprenda a lidar com a Lei do Carma, ou de Causa e Efeito, e colocar em ação o seu poder de escolha no direcionamento de sua vida.

Carma é consciência em ação.

Querer é poder, desde que saibamos o que queremos, e tenhamos consciência de que o que queremos é o melhor para nós e para os outros à nossa volta.

Tenha consciência de suas escolhas e ações, este é o único jeito de colocar em ação a poderosa Lei do Carma em seu benefício.

Lembre-se. Carma requer consciência em suas escolhas e ações.

 

José Batista de Carvalho

 

 


LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

Também nas redes sociais: Facebook – Instagram – PinterestTwitter


 

Anúncios


Categorias:Autoconhecimento

Tags:, , , , , , , ,

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: