Home / Autoconhecimento / Como usar a respiração para manter a serenidade

Como usar a respiração para manter a serenidade

Moça sentada na posição e lótus meditando buscando através da respiração serenidade

Alguns minutos de prática de respiração profunda são suficientes para manter a serenidade e a paz interior.

Ver um bebê dormindo é uma imagem reconfortante, é tanta serenidade que nos faz até mudar a respiração, suspirar e relaxar. Principalmente depois do trabalho que deu para a criaturinha dormir… Bem, mas não é esta a questão, não vamos falar de como fazer um bebê dormir, mas sim de como você pode se sentir calmo e relaxado prestando atenção ao seu modo de respirar.

O fato é que a respiração é vital, claro que isso todo mundo sabe, mas nem sempre damos importância à melhor forma de respirar. Exercícios aeróbicos são feitos para acalmar a ansiedade, amenizar crises de pânico, aliviar a dor, melhorar o foco e a concentração. Só que muitas vezes respiramos de forma curta e superficial, o que aumenta ainda mais a tensão.

Portanto, o que melhor que usar alguns minutos para respirar de uma forma que nos ajude a manter a serenidade e a paz interior?

A respiração pode ter se tornado um hábito, que pode ser mudado para ser mais salutar.

Nós nascemos sabendo como respirar da melhor forma, mas com as exigências de uma vida agitada vamos modificando o mecanismo de respiração.

Momentos de tensão, de estresse ou ansiedade levam a uma respiração mais curta e superficial, o que pode se tornar um padrão que adotamos sem perceber. O nosso corpo, entretanto, percebe a diferença: musculatura sempre tensa, noites mal dormidas, falta de concentração, agitação.

Certa vez foi perguntado a Osho sobre a sensação física que sentimos na região do estômago quando estamos com raiva, quando nos sentimos ansiosos ou tristes.

Ao que Osho respondeu: “Todo mundo está carregando um bocado de lixo no estômago, porque esse é o único espaço do corpo em que você pode reprimir as coisas. Não existe outro. Se você quer reprimir alguma coisa, você tem de fazer isso no estômago.

Em muitas culturas, chorar ou até mesmo rir não são atitudes bem aceitas. Chorar é visto como fraqueza, rir é falta de educação, então tudo é reprimido. Então, como explica Osho, em função do espaço ocupado por esse conteúdo reprimido, não conseguimos respirar profundamente e a respiração é sempre superficial. A respiração profunda envolve a prática da respiração abdominal.

A dica de Osho: para ter serenidade a respiração deve ser como de um bebê quando dorme.

“Toda criança, quando nasce, respira pela barriga. Olhe uma criança dormindo; a barriga sobe e desce, não o peito. Nenhuma criança respira com o peito; elas respiram com a barriga. Elas são completamente livres, nada as está reprimindo“, Osho explica. Com uma respiração profunda, quando você inspira e expira profundamente, o estômago se esvazia de tudo o ele está acumulando desnecessariamente.

E é preciso lembrar, adverte Osho, que mente e corpo são dois aspectos que interagem , sendo “a mente a parte mais sutil do corpo, e o corpo a parte mais grosseira da mente. E eles afetam um ao outro; andam juntos.” Por isso é fundamental manter sempre a atenção em relação aos pensamentos e praticar uma verdadeira higiene mental, evitando a mente fique abarrotada de pensamentos que desencadeiem emoções negativas.

Pois se você estiver reprimindo alguma coisa na mente, o corpo começará uma jornada de repressão. Se a mente liberar alguma coisa, o corpo também liberará. “, conclui Osho.

Um exercício para tirar mais benefícios da respiração.

No livro “Meditação: A Primeira e Última Liberdade”, Osho dá as orientações para um exercício de respiração.

Toda vez que sentir que sua mente não está tranquila — quando ela estiver tensa, preocupada, alvoroçada, ansiosa, sonhadora —, faça o seguinte: primeiro expire longamente. Comece sempre expirando.

Expire longamente, jogando fora todo o ar que estiver dentro de você, o máximo que puder. Ao jogar fora o ar, o humor também será jogado fora, porque respirar é tudo. Procure expelir o ar até onde for possível.

Contraia o abdômen e mantenha-o assim durante alguns segundos; não inspire. Deixe o ar fora e não expire durante alguns segundos.

Então deixe o corpo inspirar. Inspire tão profundamente quanto puder. Novamente, pare durante alguns segundos. O intervalo deve ser o mesmo: se você reteve a respiração por três segundos ao expirar, agora retenha a respiração por três segundos após inspirar.

Ponha o ar para fora e retenha a respiração por três segundos; inspire e prenda a respiração por três segundos. Mas o ar precisa ser jogado fora totalmente. Expire totalmente e inspire totalmente, de maneira ritmada.

Inspire, prenda; expire, prenda. Inspire, prenda; expire, prenda. Você sentirá imediatamente uma mudança ocorrer em todo o seu ser. O humor anterior terá desaparecido e um clima novo terá entrado em você.

Esta é a proposta de Osho para que a respiração siga um ritmo cadenciado e consciente, fazendo a mente se concentrar nos movimentos cíclicos do corpo, trazendo as sensações de paz e serenidade como a imagem de um bebê ao dormir. Vale a pena experimentar.

Noemi C. Carvalho

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.
Também nas redes sociais: Facebook – Instagram – PinterestTwitter

Acompanhe as publicações inscrevendo-se para receber:
– Newsletter
– Notificações

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Cadastre-se para receber nossas publicações

Receba nossas publicações em sua caixa de e-mails

Após se cadastrar você receberá um e-mail para confirmar sua inscrição.

 

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

 

Você receberá um e-mail para confirmar sua inscrição.

%d blogueiros gostam disto: