Home / Especial Coronavírus / Conhecendo o coronavírus: informações e recomendações oficiais

Conhecendo o coronavírus: informações e recomendações oficiais

Os rostos de nove médicos olhando para câmera como se fosse um paciente deitado com coronavírus

É importante seguir as orientações dos órgãos oficiais de saúde.

A crise de saúde que está ocorrendo no mundo exige medidas severas devido ao alto poder de contágio e propagação do coronavírus, trazendo a necessidade de informação e de medidas de prevenção.

As medidas básicas de higiene são as mesmas que deveriam ser seguidas sempre, pois dizem respeito à maioria das contaminações dos resfriados e gripes, que também podem levar a complicações e consequentes mortes.

Entretanto, a experiência dos países atingidos mostram a necessidade de uma rígida observação às orientações sobre higiene, bem como a necessidade de isolamento, evitando deslocamentos desnecessários. Isto se deve em função de alguns agravantes decorrentes desse novo vírus, entre os quais:

  • taxa mortalidade expressiva, ainda que muitas pessoas contaminadas sequer apresentem sintomas
  • sobrecarga nos sistemas de saúde pelo aumento vertiginoso dos atendimentos necessários, afetando equipes de trabalho, ocasionando falta de material e de acomodações necessárias
  • problemas no sistema econômico, na subsistência de muitas empresas e no trabalho e sustento principalmente de pequenos comerciantes e autônomos

Portanto, siga sempre as recomendações, procure ficar informados das medidas através de veículos de comunicação idôneos e órgãos oficiais.

Espalhe boas notícias.

Aproveite as redes sociais para espalhar as boas notícias:

  • a China, o primeiro lugar a ser atingido, depois de cerca de 3 meses não registrou mais nenhum caso, graças às fortes medidas de controle e isolamento impostas que estão gerando bons resultados
  • muitas ações de solidariedade estão surgindo, de crianças a grandes corporações, cada um fazendo o que pode em benefício de todos
  • o número de pessoas curadas é cerca de 13 vezes maior que o número de falecimentos

Passe sempre mensagens positivas e de otimismo, compartilhe preces e orações. É imprescindível manter a fé, a energia positiva e o bom equilíbrio emocional, elementos fundamentais para a superação dessa crise o quanto antes, aliados às recomendações oficiais.

Nossas palavras moldam o mundo de muitas maneiras. Assim como nossas palavras têm o poder de curar, oferecem conforto e segurança, esperança e solidariedade, elas também têm o poder de ferir, assustar e alienar.” – Colm Reagan

O que se sabe sobre o coronavírus e a covid-19.

Reunimos algumas informações de órgãos oficiais (listados ao final do texto) sobre o coronavírus e a pandemia do covid-19, onde você poderá encontrar:

  • um breve histórico
  • sintomas e recomendações
  • evolução do covid-19
  • outras informações

O que são os coronavírus.

Os coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias em humanos e também em animais. São a segunda principal causa do resfriado comum, após o rinovírus, e podem também causar doenças respiratórias mais graves.

Existem sete tipos de coronavírus conhecidos por infectarem humanos, dentre eles o SARS (causador da Síndrome Respiratória Aguda Grave, ou SARS-CoV) e o MERS (causador da Síndrome Respiratória do Oriente Médio, ou MERS-CoV).

O novo coronavírus SARS-CoV-2.

O novo coronavírus pertence à mesma família do SARS, razão pela qual foi chamado de SARSCoV2. A doença é chamada covid-19.

O novo coronavírus (SARS-CoV-2), foi descoberto em dezembro de 2019, e faz parte de uma nova cepa de coronavírus que ainda não havia sido identificado em humanos.

A doença foi identificada pela primeira vez em Wuhan, na  República Popular da China, em 1 de dezembro de 2019 em função de um grupo de pessoas com pneumonia de causa desconhecida, formado principalmente por vendedores ambulantes que trabalhavam no Mercado de Frutos do Mar de Huanan, que também vendia animais vivos.

O que é covid-19.

Covid-19 é a doença causada pelo SARS-CoV-2, que foi oficialmente chamada de covid-19 pela Organização Mundial da Saúde, como um acrônimo do termo em inglês Coronavirus Disease 2019, (“doença por coronavírus”).

Em 11 de março de 2020, a Organização Mundial da Saúde declarou o surto uma pandemia de covid-19, a doença respiratória aguda causada pelo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2 (SARS-CoV-2).

Uma pandemia implica uma transmissão sustentada, eficaz e contínua de uma doença infecciosa numa grande região geográfica. O termo não se refere à letalidade do agente infeccioso, mas à sua transmissibilidade e extensão geográfica.

Os sintomas do covid-19.

Os sintomas mais comuns do covid-19 são febre e tosse seca, podendo surgir dificuldade para respirar.

Algumas pessoas podem ter dores, congestão nasal, corrimento nasal, dor de garganta ou diarreia.

Esses sintomas geralmente são leves e começam gradualmente. Algumas pessoas são infectadas mas não desenvolvem sintomas e não se sentem mal.

Evolução da doença do novo coronavírus.

A maioria das pessoas (cerca de 80%) não apresenta sintomas ou tem sintomas leves, e se recupera da doença sem precisar de tratamento especial.

Outras pessoas (cerca de 15%, ou 1 em cada 6 pessoas) podem apresentar pneumonia grave. E em cerca de 5% dos casos pode se tornar crítica ou letal, sobretudo para pessoas idosas e as que têm problemas médicos subjacentes, como pressão alta, problemas cardíacos ou diabetes, têm maior probabilidade de desenvolver doenças graves.

A maioria das pessoas infectadas é curada, e de fato há 13 vezes mais pacientes curados do que casos fatais, sendo que a proporção está aumentando em função dos novos procedimentos adotados à medida que se conhece melhor a ação do vírus e a evolução da doença. Mas é fundamental evitar a propagação do vírus.

Apenas 3% dos casos ocorrem em menores de 20 anos e nas crianças os sintomas geralmente são tão leves que podem passar despercebidos.

Em pessoas com menos de 50 anos de idade o risco de morte é inferior a 0,5%, enquanto em pessoas com mais de 70 anos é superior a 8%.

Como acontece o contágio.

A principal forma de disseminação do coronavírus causador do covid-19 conhecida até o momento é de pessoa para pessoa.

A contaminação se dá pelo contato ou aspiração de gotículas de saliva, espirro, tosse ou catarro de uma pessoa infectada. Por isso é preciso manter a distância mínima de 1m e evitar contatos pessoais como apertos de mão e beijos, para evitar a contaminação e propagação do vírus.

Objetos e superfícies também podem estar contaminados, por isso é importante não levar as mãos aos olhos, nariz e boca antes de higienizá-las adequadamente.

Recomendações principais para evitar contágio e proliferação.

Atualmente, não existe vacina disponível contra o coronavírus 2019.

A recomendação da Organização Mundial de Saúde é para que medidas gerais de prevenção sejam adotadas no dia a dia.

  • Lave as mãos com água e sabão frequentemente, principalmente ao chegar de ambientes públicos e antes de consumir alimentos.
  • O álcool em gel com pelo menos 60% de álcool pode ser uma opção quando não houver água e sabão disponíveis.
  • Mantenha uma boa higiene respiratória, ao tossir ou espirrar, cobrindo a boca e o nariz com o cotovelo flexionado ou com um lenço descartável, que deve ser jogado no lixo logo em seguida.
  • Evite tocar nos olhos, nariz e boca sem antes higienizar as mãos.
  • Mantenha os ambientes bem ventilados.
  • Evite o contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença.
  • Procure manter pelo menos 1 metro de distância entre você e qualquer pessoa que esteja tossindo ou espirrando.
  • Fique em casa se não se sentir bem. Se tiver febre, tosse e dificuldade em respirar, procure atendimento médico, mas ligue para saber aonde se dirigir, para evitar deslocamentos desnecessários e agilizar o atendimento. Informe sobre o possível contato com a pessoa infectada ou se tem histórico de viagem para os países que estão com circulação do vírus.
  • Respeite as determinações de isolamento de sua cidade, saia somente se necessário

Outras informações.

Incubação

Período de incubação significa o tempo entre a captura do vírus e o início dos sintomas da doença. A maioria das estimativas do período de incubação do covid-19 varia de 1 a 14 dias, geralmente em torno de cinco dias.

Superfícies e objetos

Limpe superfícies que podem estar infectadas como maçanetas, corrimãos, telefones, brinquedos, com álcool ou um desinfetante simples. Não é certo quanto tempo o vírus que causa o covid-19 sobrevive na superfície, mas parece se comportar como outros coronavírus. Estudos sugerem que os coronavírus (incluindo informações preliminares sobre o vírus covid-19) podem persistir nas superfícies por algumas horas ou até vários dias. Isso pode variar sob diferentes condições (por exemplo, tipo de superfície, temperatura ou umidade do ambiente).

Animais de estimação

Não há evidências de que cachorros, gatos ou qualquer animal de estimação possam transmitir o covid-19, pois ele se espalha principalmente por gotículas produzidas quando uma pessoa infectada tosse, espirra ou fala.

Recomendações finais.

A vacina contra a gripe também é recomendada e a Campanha Nacional de Vacinação terá início no dia 23 de março, quando idosos e profissionais de saúde terão prioridade para se vacinarem. A vacina contra a influenza garante proteção para três tipos de vírus (H1N1, H3N2 e Influenza B). Mesmo que a vacina não apresente eficácia contra o coronavírus é uma forma de prevenção para outros vírus, ajudando a reduzir a demanda de pacientes com sintomas respiratórios e acelerarem o diagnóstico para o coronavírus.

É extremamente importante neste momento reforçar os hábitos de higienização, como lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Caso não consiga lavar as mãos com sabão com frequência e nos locais onde circula, é essencial adotar o uso do desinfetante para as mãos à base de álcool, conhecido popularmente como álcool-gel.

Atualizado em 20/03/2020 – acompanhe atualizações nos sites de órgãos oficiais.
Você pode saber mais acessando:
OMS – Organização Mundial da Saúde
OPAS – Organização Pan-Americana de Saúde
Ministério da Saúde
Governo do Brasil
FIOCRUZ
Instituto Butantan
Governo de São Paulo

O telefone 136 também pode ser utilizado em caso de dúvidas.

Espalhe sempre boas notícias, solidariedade, esperança, fé, otimismo, apoio. Vamos mudar a vibração do planeta, que pede renovação de atitudes e valores.

Leia mais dicas e informações sobre alimentação, trabalho remoto, medidas de proteção e outros assuntos no Painel da pandemia: o que você precisa saber

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.
Também nas redes sociais: Facebook – Instagram – PinterestTwitter

Acompanhe as publicações inscrevendo-se para receber:
– Newsletter
– Notificações

Veja também

ilustração de um perfil humano com imagem do espaço espiritismo coronavírus

O que o espiritismo diz sobre o coronavírus

Para o espiritismo, o coronavírus traz a oportunidade para as pessoas refletirem e melhorarem sua conduta e seu modo de viver, colaborando para a transição planetária.

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: