Home / Emoções / Dalai Lama explica como combater as emoções destrutivas que afetam nossa vida

Dalai Lama explica como combater as emoções destrutivas que afetam nossa vida

homem subindo um monte com uma grande cachoeira atrás como se tivesse emoções destrutivas

O materialismo da vida moderna e as emoções destrutivas.

Durante o mês de Junho, Dalai Lama realizou diversos encontros virtuais realizados a partir de sua residência, respondendo às perguntas feitas pelos participantes. Várias delas mostravam preocupação quanto às emoções negativas pelas quais, muitas vezes, somos invadidos, questionando Sua Santidade sobre os problemas que elas acarretam e como podemos, então, evitar que essas emoções destrutivas afetem nossa felicidade e bem-estar.

“A educação moderna“, afirmou Dalai Lama, “é orientada apenas para objetivos materiais e,assim, com pouca apreciação do papel da mente e das emoções e de como cultivar nosso mundo interior.” Ele enfatizou que só alcançaremos um mundo pacífico se cultivarmos primeiro a paz de espírito dentro de nós mesmos.

Como reduzir a influência das emoções negativas.

Dalai Lama explica que umas das principais causas para o surgimento das emoções negativas é a valorização excessiva do ego, ou seja, quando deixamos que todas as nossas atitudes sejam voltadas apenas para o nosso próprio benefício, sem dar importância ou valor aos demais seres que compartilham conosco a vida.

“A raiva e o ciúme, que são emoções destrutivas, baseiam-se no fato de termos um forte senso de ‘eu’, portanto, cultivar um entendimento de abnegação reduz a influência que emoções destrutivas têm sobre nós.”, ele orienta.

Vemos, portanto, que atitudes pautadas na solidariedade e no altruísmo – ou seja, no bem dedicado aos outros – em que conseguimos superar as tendências egoísticas da personalidade, não só leva benefício aos outros seres mas também beneficia a nós próprios.

Sua Santidade contou, também, como ele começa seu dia, de modo a evitar que o personalismo do ego se instale quando começa o dia: “Então, quando acordo, pergunto-me: ‘Onde está o ‘eu’? Onde está o ‘eu’? Onde fica o Dalai Lama?’.

Mas não consigo encontrá-lo, e percebo que é apenas uma designação, e isso afrouxa o domínio de emoções negativas como raiva, medo e ciúmes. Essas emoções são negativas porque destroem nossa paz de espírito e, dessa forma, prejudicam nossa saúde. Por outro lado, emoções positivas como ‘karuna’ – compaixão – são baseadas e podem ser fortalecidas pela razão.”

Precisamos entender a causa das nossas emoções.

“Se você sente raiva ou medo, mas analisa sobre quem ou o quê você focaliza a raiva ou tem medo, verá que seus sentimentos são projeções mentais. É por isso que aqueles que lhe causam problemas oferecem oportunidades para cultivar paciência e compaixão – e é por isso que dizemos que seu inimigo pode ser seu professor.”, continua Dalai Lama.

“A raiva e o medo fazem parte de nossa paisagem mental, mas, através da meditação, podemos desenvolver a convicção de que tais emoções negativas são inúteis. Precisamos aprender como alcançar a paz de espírito, porque as emoções negativas merecem a culpa por muitos dos problemas que enfrentamos, e podemos aprender como reduzi-los através da análise. Portanto, temos muito trabalho a fazer no campo emocional.

“Só alcançaremos um mundo pacífico se cultivarmos primeiro a paz de espírito dentro de nós mesmos.” – Dalai Lama

Como geralmente não temos uma compreensão do nosso mundo interior, faríamos bem em encontrar uma maneira de incorporá-lo ao currículo educacional, do jardim de infância à universidade. Pequenos começos podem levar a uma compreensão completa e sofisticada da mente, assim como uma única semente cresce e se transforma em uma grande árvore.”

Educar o coração ou educar a mente? Como combater as emoções destrutivas.

Dalai Lama foi questionado sobre a diferença que existe entre educar o coração e educar a mente, ao que respondeu: “Temos que examinar quais emoções são úteis e quais são prejudiciais. Algumas, como a compaixão, devemos aprender a melhorar, enquanto outras, como a raiva e o medo, devemos aprender a reduzir. As emoções têm causas e precisamos entender o que são.

Isso não pode ser feito apenas através da oração; nós temos que usar nossa inteligência. Se estamos saudáveis ​​ou não está relacionado a ter um conhecimento mais detalhado de nossas mentes. Precisamos analisar a mente, usar nossa sabedoria humana, examinar quais emoções são úteis e quais são prejudiciais.

Também precisamos examinar as causas de nossas emoções. Pergunte a si mesmo o que causa raiva em você e qual é a fonte da compaixão. Isso é algo para se pensar profundamente. Como resultado, poderemos melhorar as causas das emoções positivas e reduzir as fontes daquelas que são negativas.”

Em conclusão, Dalai Lama explica que a meditação e exercícios para controlar a respiração podem nos ajudar a focar na própria mente: comece praticando por alguns segundos, depois estenda para alguns minutos. Com a mente livre de pensamentos intrusivos, começa, então, a surgir respostas para as questões emocionais que podemos transformar e equilibrar para melhorar nossa qualidade de vida.

Noemi C. Carvalho

fonte: Dalai Lama

ASSINE GRATUITAMENTE NOSSA NEWSLETTER

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 10.310 outros assinantes

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.
Também nas redes sociais: Facebook – Instagram – PinterestTwitterYouTube

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Cadastre-se para receber nossas publicações

Receba nossas publicações em sua caixa de e-mails

Após se cadastrar você receberá um e-mail para confirmar sua inscrição.

 

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

 

Você receberá um e-mail para confirmar sua inscrição.

%d blogueiros gostam disto: