Home / Emoções / Emoções perturbadas podem levar a processos de obsessão

Emoções perturbadas podem levar a processos de obsessão

emoções perturbadas e obsessão

A dificuldade de manter o equilíbrio emocional.

Quando deixamos que as nossas emoções fiquem perturbadas, isso pode, se não corrigido logo, tornar-se um processo de obsessão.

No percurso de nossa existência, quantas vezes sentimos a brisa suave do mar sereno, quando as coisas vão de vento em popa. Mas, de repente, se formam os ventos de tempestade, sentimos que a paz e a felicidade estão à deriva.

Esse é justamente o momento de nos perguntarmos em que ponto estamos de nosso progresso espiritual. E, com sinceridade, reconhecer se não estamos afundados na desarmonia e na perturbação.

Emmanuel¹ lembra que “temos a vida sentimental permanentemente ameaçada por desafios exteriores, em forma de episódios ou informes desagradáveis que se nos erigem por medida de equilíbrio e resistência, na luta moral que somos chamados a travar, na área de nossas atividades, em favor do próprio burilamento.”

Portanto, o enfrentamento de situações que nos atemorizam ou nos enraivecem trazem à tona as fraquezas morais e emocionais que devemos combater.

Devemos, na verdade, não é o termo correto. Melhor é dizer podemos, uma vez que é escolha individual que rumo cada um vai tomar na vida. Apenas o destino é o mesmo para todos, que prevê alcançar a perfeição espiritual.

As experiências amargas são o medicamento para a alma.

Certamente a viagem é longa, muito temos a transformar para uma existência mais venturosa. Entretanto, os caminhos que serão traçados é que vão determinar o tempo para a chegada.

É por isso que o mentor espiritual aconselha: “Se à frente desse ou daquele sucesso menos feliz, costumamos esquecer, sistematicamente, paciência e conformação, entendimento e serenidade, então é preciso estabelecer o intervalo para reflexão, nos mecanismos da mente, a fim de que venhamos a fazer em nós mesmos as retificações necessárias.”

Segundo ele explica, nas questões mais desafiadoras que surgem em nosso cotidiano, “quase sempre somos impelidos a pensar em obsessão, supondo-nos vítimas de entidades vampirizantes.”

Mas o problema, na maior parte das vezes, não se refere a uma influência espiritual externa e sim diz respeito a nós mesmos.

Emmanuel diz que “em muitas situações e circunstâncias das existências passadas, caímos em fundos precipícios de ódio e vingança, desespero e criminalidade, operando em largas faixas de tempo contra nós próprios, comprometendo-nos o destino.”

Por causa disso, surge a necessidade das experiências que, ainda que amargas, são indispensáveis como um medicamento eficaz para a cura de males da alma.

Como equilibrar as emoções perturbadas e se proteger da obsessão.

Em vista dessas elucidações, o benfeitor orienta que, “toda vez que o sentimento se nos desgoverne, procuremos assumir com segurança o leme do barco de nossos pensamentos, na maré de provações da existência, na paz da meditação e no silêncio da prece.”

Somente pelo autocontrole podemos modificar palavras e atitudes impulsivas antes que embarquem em nossa mente e comandem o rumo de nossas emoções. Evitamos, assim, que nos levem às águas turbulentas da perturbação, deixando a porta aberta para uma obsessão oportunista.

Esse é um trabalho, como diz Emmanuel, de autoimunização mental, que depende da observação constante e consciente de nossos pensamentos.

Mas certamente o auxílio da oração e o conhecimento da vida espiritual vai nos proporcionar melhores resultados e modificações duradouras. Pois a ligação com a espiritualidade maior traz a luz do entendimento. E, assim, podemos entender o que se passa conosco e ver que não somos perseguidos ou azarados, mas os construtores de nosso próprio destino.

As circunstâncias que nos trazem perturbação são consequências da lei de causa e efeito, bem como oportunidades de nos fortalecermos. Quando transformamos a perturbação emocional e força espiritual, evitamos cair nas malhas de processos de obsessão.

E, além do mais, contamos com a proteção e a orientação de elevadas entidades que nos acompanham a jornada.

Ou, como disse Jesus, em poucas palavras, num ensinamento sintético e profundo: orai e vigiai.

Noemi C. Carvalho

1 – Emmanuel, em “Alma e Coração”, psicografado por Chico Xavier

ASSINE GRATUITAMENTE NOSSA NEWSLETTER

1 – Insira o seu e-mail e cadastre-se.

2 – Autorize sua inscrição no e-mail de confirmação que você vai receber.
* Lembre-se de olhar as caixas de spam e de promoções.

Política de PrivacidadePolítica de Cookies Política Anti-Spam

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

Também nas redes sociais:

Facebook

Instagram

Pinterest

Twitter

YouTube

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossas publicações por

e-mail

 Insira o seu e-mail para se cadastrar.

Você vai receber primeiro um e-mail para autorizar a inscrição.

Lembre-se de olhar as caixas de spam e de promoções.

Um e-mail vai ser enviado para você autorizar a sua inscrição. Lembre de olhar a caixa de spam.

%d blogueiros gostam disto: