Home / Emoções / Felicidade é uma alegria duradoura

Felicidade é uma alegria duradoura

Felicidade e alegria não são a mesma coisa.

Sentir-se bem, estar alegre, poder fazer coisas que gosta e tem vontade, estar com companhias agradáveis, cada um vai ter uma opinião diferente sobre o que representa a felicidade. Inclusive pode ter opiniões diferentes em momentos diferentes da vida, dependendo do que já tenha realizado, ou do que queira realizar, ou do que esteja sentindo falta.

Existe, entretanto, uma diferença entre “alegria” “felicidade”. 

A alegria é uma emoção, ao passo que a felicidade é um sentimento.

A alegria é momentânea. Ficamos alegres quando encontramos alguém querido, quando compramos algo que desejamos, quando nosso time ganha um jogo, quando ouvimos uma  boa piada, quando estamos nos divertindo. A alegria se expressa, geralmente, através do sorriso, é um período de tempo em que nos sentimos contentes e satisfeitos. A alegria é uma emoção vivaz, dinâmica, entusiasmada, animada.

A felicidade é um sentimento duradouro, que independe do momento ou das circunstâncias. Sentir-se feliz é ter uma sensação de contentamento, de bem-estar, que não é motivada por uma situação específica. É o sentimento da alma, vem do nosso interior. Ele não surge em nosso interior, ele está sempre lá, é sua morada. Sentir-se feliz, é sentir-se bem, independentemente de circunstâncias externas, quer estejam revestidas de alegria ou de sofrimento.


Sobre este assunto, você também pode ler aqui:


Felicidade é uma escolha?

É muito fácil cairmos na tentação de achar que alguém mais, além de nós mesmos, é responsável por nossa felicidade. Culpar os outros por nos sentirmos infelizes é uma artimanha do ego que, segundo Osho, “insiste em dar condições impossíveis, e ele diz que primeiro essas condições precisam ser satisfeitas e somente então você poderá ser feliz. Ele pergunta como você pode ser feliz em um mundo tão feio, com pessoas tão feias, em uma situação tão feia. Se você observar corretamente, rirá de si mesmo.”

A felicidade em si não pode, entretanto, ser tratada como um objeto de desejo, nem existe uma relação direta entre esforço e sua realização. A felicidade é algo que flui de nós, é um sentimento espontâneo, independente de qualquer realização. Como diz Osho, “todo o amor do mundo pode ser dado a você, mas, se você decidir ser infeliz, permanecerá infeliz. E você pode ser feliz, imensamente feliz, por absolutamente nenhuma razão – porque a felicidade e a infelicidade são decisões suas.”

As condições da vida nem sempre são satisfatórias. Existem muitas pessoas que vivem em condições muito menos que satisfatórias, e mesmo assim são sorridentes, afáveis, encontram felicidade no seu mundo.

Outras, ao contrário, desfrutam de ótimas condições sociais e financeiras, mas seus semblantes só expressam infelicidade, refletindo seu estado interior. Este, por sua vez, torna densa a sua energia pessoal, o que faz com que outras pessoas não se sintam bem e se afastem do ser infeliz. Que, a seu turno, vai se sentir ainda mais infeliz por se sentir rejeitado, ao passo que quer ser amado, para ser consolado.


Talvez lhe interesse ler também estes aqui:


A felicidade atrai o amor

Nas palavras de Osho, compreendemos que o fluxo do amor e da felicidade não podem ser impostos e não vão fluir a não ser através de manifestações espontâneas e sinceras: “Se você estiver feliz, o amor fluirá em sua direção… não há necessidade de pedi-lo. Essa é uma das leis básicas. Exatamente como a água flui para baixo e o fogo flui para cima, o amor flui em direção à felicidade.”

Como diz a música Balada do louco”, composta por Arnaldo Baptista e Rita Lee, que também foi gravada numa magistral interpretação por Ney Matogrosso:

“Dizem que sou louco por pensar assim
Se eu sou muito louco por eu ser feliz
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz”

Noemi C. Carvalho


LêAqui: a mensagem certa na hora certa


leaqui

Política de PrivacidadePolítica de Cookies Política Anti-Spam

Um comentário

  1. Maria Consuelo Oliveira

    Esse foi o texto mais próximo do meu ponto de vista que já li. Vejo muita confusão na interpretação dada para felicidade. Para mim, felicidade não se corre atrás, não se desiste, alegria ou tristeza não interfere na felicidade. No meu conceito felicidade é uma consciência de si mesmo e da oportunidade da vida. Em tese, todos devem ser felizes pelo simples ato da oportunidade da vida. Daí, posso sempre dizer: “Eu sou feliz”! A infelicidade, ou a falta da felicidade pode ocorrer quando uma pessoa tem distúrbios emocionais,quando está fora de equilíbio com ela mesma, quando não se aceita. Então precisamos que essa pessoa recupere a autoestima e logo ela SERÁ e vai se SENTIR feliz, POIS ENCONTRARÁ SEU EQUILÍBRIO.Por fim, acho que felicidade não é uma maratona.Eu sou e sempre fui feliz, porém há circunstâncias que me deixam triste, magoada, desanimada; mas NÃO INFELIZ!

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Cadastre-se para receber nossas publicações

Receba nossas publicações em sua caixa de e-mails

Após se cadastrar você receberá um e-mail para confirmar sua inscrição.

 

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

 

Você receberá um e-mail para confirmar sua inscrição.

%d blogueiros gostam disto: