Home / Emoções / Mesmo se nada parece dar certo, não entregue os pontos

Mesmo se nada parece dar certo, não entregue os pontos

Mulher com luvas de boxe protegendo o rosto para reagir quando nada parecer dar certo
Mesmo se nada parece dar certo, não entregue os pontos.

Se tudo está dando errado, é hora de redobrar as forças.

Tem dias, e às vezes muitos deles seguidos, em que nada parece dar certo. É uma sucessão de problemas, de conflitos, fatos desagradáveis que perturbam a paz ou causam grande aflição, como se densas nuvens pairassem sobre nós e turvassem as emoções.

Parece que tudo que fazemos sai errado e que quanto mais tentamos resolver alguma coisa, mais complicada ela fica. Vem, então, a sensação que o mundo está contra nós e resolveu despejar todas as agruras que da vida de uma vez só na nossa porta.

E é justamente nesses momentos que é fundamental redobrar a vigilância e não baixar a guarda. Porque este é o momento esperado ansiosamente pelo pessimismo para se instalar na nossa mente.

Mas como evitar cair nas garras da ansiedade e da depressão, das noites insones e dos dias vazios de sentido?

Devemos enfrentar os problemas mantendo a confiança na solução.

Para poder superar essas ocasiões, Joanna de Ângelis, no livro “Momentos de Saúde”, psicografado por Divaldo Franco, orienta o seguinte:

“Quando recrudescem as dificuldades, maior deve ser o investimento de energias, e mais cuidadosa a aplicação do valor moral na batalha. Desistindo-se sem lutar, mais rápido se dá o fracasso, e quando se vai ao enfrentamento com ideias de perda, parte do labor já está perdido.”

Em outras palavras, quando nada parece dar certo, ainda mais devemos nos empenhar em procurar formas de resolver a situação, juntando toda a energia que nos resta. E para que esse elemento tão essencial não seja desperdiçado, é preciso usá-lo da melhor forma possível.

Precisamos, portanto, entrar nessa batalha com uma forte disposição e a ideia central de que vamos vencer as dificuldades e encontrar a solução necessária. Porque se tivermos dúvidas, se nossos pensamentos forem de incerteza, essa energia que empregamos vai continuar alimentando e fortalecendo exatamente aquilo que não queremos, isto é, a continuidade do problema. É fácil perceber que, neste caso, uma solução fica mais difícil de se apresentar.

Se nada parece dar certo, aceite como um desafio que você vai vencer.

Na mesma obra, ela se refere às consequências de nos entregarmos às lembranças negativas que invariavelmente surgem. Esta atitude, de fato, leva a aumentar a aflição, a infelicidade e o desânimo.

Isto leva a uma sensação de incapacidade, por sentir-se “sitiado por forças descomunais, contra as quais não pode lutar, deixando-se arrastar pelas correntes contrárias, envenenando-se com o mau humor. São esses, dias de provas, e não para desencanto; de desafio, e não para a cessação do esforço.”

Neste trecho, Joanna de Ângelis deixa claro que as contrariedades devem ser encaradas como desafios, ou seja, momentos que exigem mais concentração e esforço, fé e confiança redobradas. Pois estamos sujeitos a sofrer adversidades e derrotas, devemos aceitá-las como ocorrências na nossa vida e encará-las confiantes da capacidade que temos de vencer desafios.

“Nesses dias sombrios, que acontecem periodicamente, e às vezes se tornam contínuos, vigia mais e reflexiona com cuidado. Um insucesso é normal, ou mesmo mais de um, num campo de variadas atividades.”, conclui Joanna de Ângelis.

Precisamos também estar atentos a outra energias que podem nos influenciar.

Nos casos em que a melhora não acontece, entretanto, em que a tristeza e a preocupação não cedem terreno, existe também a possibilidade, alerta Joanna de Ângelis, da influência de fatores espirituais.

A influência energética a que estamos expostos, seja de pessoas de nosso ambiente bem como de seres espirituais, não pode ser desprezada. Nesses dois planos pode haver aqueles dispostos a nos prejudicar e, neste último, pode tomar um caráter obsessivo, como uma nuvem densa de energia negativa.

De qualquer forma, o alerta nos é dado: “ Quanto mais te irritares e te entregares à depressão, mais forte se te fará o cerco e mais ocorrências infelizes tomarão forma. Não te debatas até a exaustão, nadando contra a correnteza. Vence o fluxo, contornando a direção das águas velozes. Há mentes espirituais maldosas, que te acompanham, interessadas no teu fracasso.

O que fazer quando parece que não existe solução.

A solução apontada por Joanna de Ângelis para vencer essa batalha é bem simples: manter a mente centrada na oração, na confiança em Deus e no pensamento otimista.

Além disso, atitudes como leituras edificantes, ouvir músicas inspiradoras, manter contato com a natureza são práticas que, em conjunto com as primeiras, ajudam a manter a serenidade e a ligação com os planos espirituais superiores.

Há sempre Sol brilhando além das nuvens sombrias, e, quando ele é colocado no mundo íntimo, nenhuma ameaça de trevas consegue apagar, ou sequer diminuir a intensidade da luz. Segue a claridade e vence o teu dia de insucessos, confiante e tranquilo.“, finaliza Joanna de Ângelis.

A inércia ou a continuidade em pensamentos de negatividade, certamente, também consomem suas forças. Portanto, use sua força e energia para dissipar as névoas que encobrem as emoções, abrindo espaço entre as densas nuvens das contrariedade para encontrar a luz da superação e da esperança.

Noemi C. Carvalho

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.
Também nas redes sociais: Facebook – Instagram – PinterestTwitter

Acompanhe as publicações inscrevendo-se para receber:
– Newsletter
– Notificações

leaqui

Política de PrivacidadePolítica de Cookies Política Anti-Spam

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Cadastre-se para receber nossas publicações

Receba nossas publicações em sua caixa de e-mails

Após se cadastrar você receberá um e-mail para confirmar sua inscrição.

 

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

 

Você receberá um e-mail para confirmar sua inscrição.

%d blogueiros gostam disto: