Home / Espiritualidade / O programa divino para os mundos habitados

O programa divino para os mundos habitados

imagem que mostra uma parcela do planeta terra e o universo ao fundo mundos habitados

Os vários mundos são as diferentes escolas da nossa existência.

Muitas obras psicografadas falam da existência de outros mundos habitados, além da nossa boa e velha Terra. Mas eles não são simplesmente outros pontos colonizados ou opções para quem quer escolher um lugar diferente para viver.

Esses outros planetas atendem a um programa divino cujo objetivo final é levar cada um de nós a um nível de perfeição na evolução espiritual.

Assim, podemos pensar nesses diversos locais como se fossem instituições de ensino. E cada uma delas é preparada para atender diferentes turmas, dependendo do seu adiantamento no currículo escolar.

As diferenças do desenvolvimento espiritual.

Os Espíritos evoluídos são aqueles que atingiram a perfeição e têm sua vida fundamentada em sentimentos nobres e amorosos. Eles têm a sua morada no plano espiritual, porque não precisam mais passar pelas provas dos mundos materiais.

Como explica Allan Kardec, “todos os Espíritos tendem para a perfeição e Deus lhes faculta os meios de alcançá-la, proporcionando-lhes as provações da vida corporal. Sua Justiça, porém, lhes concede realizar, em novas existências, o que não puderam fazer ou concluir numa primeira prova.”

Não seria condizente com a bondade divina que aqueles que encontraram algum tipo de dificuldade e não conseguiram ter um ótimo aproveitamento na escola da vida fossem condenados para todo o sempre a conviver com a amargura de suas falhas.

O que, diga-se de passagem, se refere praticamente a toda a população de nosso planeta. Afinal, a Terra é um local de provas e expiações justamente porque para cá vêm aqueles que estão ainda num estágio intermediário de desenvolvimento pessoal.

Porque reencarnamos várias vezes.

A encarnação é quando o Espírito, que é imortal, volta a ocupar temporariamente um corpo material. Dessa forma é que ele vai “sentir na carne” as dores e alegrias que vão lhe fazer entender o aprendizado que procura.

É assim que temos a oportunidade para entender, praticar e incorporar os pensamentos e atitudes que, embasados no bem, nos aproximam cada vez mais da paz e da felicidade que queremos vivenciar todos os dias.

Todos nós temos qualidades que temos para aprimorar e falhas que podemos corrigir. Naturalmente teremos sucesso em algumas e não conseguiremos nenhum progresso em outras.

Isso não quer dizer que a existência foi em vão. Porque todo conhecimento que é adquirido numa encarnação é uma aquisição do Espírito, e vai ser depois usado numa nova existência corporal.

Podemos habitar diferentes mundos.

As várias encarnações que podemos ter como oportunidade para trabalhar nosso progresso pessoal não se passam, necessariamente, todas na Terra.

Nós podemos vivê-las “em diferentes mundos. As que aqui passamos não são as primeiras, nem as últimas; são, porém, das mais materiais e das mais distantes da perfeição.”

O fato de podermos habitar diferentes mundos não quer dizer, também, que só vivemos uma vez num determinado planeta. Cada um de nós “pode viver muitas vezes no mesmo globo, se não se adiantou bastante para passar a um mundo superior.”

E além disso, podemos viver em outros mundos e depois voltar a este, numa encarnação seguinte, porque “todos os mundos são solidários: o que não se faz num, faz-se noutro.”

Convivemos com pessoas em diferentes graus de adiantamento.

Outro fato, no que diz respeito às várias existências nos diversos mundos habitados que existem no Universo, é que não precisamos, obrigatoriamente, passar por cada um deles.

O que importa é o aprendizado que o Espírito adquiriu. E “muitos são os mundos correspondentes a cada grau da respectiva escala”. Por isso não haveria nada de novo a aprender se alguém que já cumpriu determinado estágio fosse habitar outro planeta de mesmo grau.

Tudo aquilo que pode ser experienciado em planetas de mesmo nível pode ser feito através da pluralidade de existências no mesmo mundo. Assim, uma pessoa “de cada vez poderá ocupar posição diferente das anteriores e nessas diversas posições se lhe deparam outras tantas ocasiões de adquirir experiência.”

O aprendizado é contínuo mas o aproveitamento é ditado pelo ritmo individual. E por esse motivo é que na Terra, como em outros globos existem pessoas em graus de adiantamento diferentes.

Mesmo quando não há mérito para evolução, não existe retrocesso na reencarnação.

Outro fato interessante é que existe um avanço na escalada por mundos melhores. Mas nunca existe uma ação retrógrada, isto é, um Espírito não vai voltar a encarnar num mundo inferior.

Assim é o caso de Espíritos que não aproveitam a existência para se aprimorarem e continuam vivendo em meio a vícios e prática de atos inescrupulosos ou maldosos. Eles falham, assim, em suas provas ou em suas missões.

Desta forma, eles não evoluem mas não são enviados a mundos inferiores, cujos estágios já superaram. Ficam estacionários e recomeçam a existência sem avançar para um planeta melhor.

A exceção é feita para os Espíritos que encarnam em mundos inferiores porque se encontram em missão. Nestes casos, ele têm “o objetivo de auxiliarem o progresso, caso em que aceitam alegres as tribulações de tal existência, por lhes proporcionar meio de se adiantarem.”

Em resumo, o que já sabemos sobre outros mundos habitados.

A Doutrina Espírita nos ensina, então, que existem vários mundos habitados e eles têm diferentes graus de adiantamento. Assim, à medida que evoluímos em nosso aprendizado, podemos encarnar naqueles que já são mais espiritualizados e onde não existem tantos sofrimentos.

Também vimos que podemos voltar tantas vezes quantas forem necessárias num mesmo planeta, até estarmos aptos a passar para um de grau superior. E, além disso, existem mundos semelhantes e por isso podemos alternar nossas existências entre eles.

Todas as qualidades e virtudes que adquirimos ou desenvolvemos numa existência ficam como aquisições do Espírito e portanto permanecem mesmo em futuras encarnações. Por isso é que as pessoas têm graus de desenvolvimento diferentes, dependendo daquilo que já conquistaram em outras existências.

Assim, avançar em nosso caminho evolutivo pode ser trabalhoso, precisa de dedicação e tempo para estudos, de perseverança para transformar nossas emoções e atitudes.

Mas certamente traz a recompensa futura da vida em mundos melhores.

Noemi C. Carvalho

Texto baseado em “O Livro dos Espíritos” – Allan Kardec – parte 2 – Capítulo IV – (com trechos extraídos da mesma obra).

ASSINE GRATUITAMENTE NOSSA NEWSLETTER

leaqui

Política de PrivacidadePolítica de Cookies Política Anti-Spam

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

Também nas redes sociais:

Facebook

Instagram

Pinterest

Twitter

YouTube

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Cadastre-se para receber nossas publicações

Receba nossas publicações em sua caixa de e-mails

Após se cadastrar você receberá um e-mail para confirmar sua inscrição.

 

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

 

Você receberá um e-mail para confirmar sua inscrição.

%d blogueiros gostam disto: