Home / Autoconhecimento / O que o espiritismo diz sobre o coronavírus

O que o espiritismo diz sobre o coronavírus

ilustração de um perfil humano com imagem do espaço espiritismo coronavírus

O espiritismo explica o que a pandemia do coronavírus tem a ver com a evolução espiritual.

De acordo com os esclarecimentos dados pelo espiritismo, o coronavírus faz parte de um processo de evolução do ser humano e, consequentemente, da Terra.

Essa evolução espiritual de que tanto se fala pode parecer sem sentido se pensarmos só na nossa vida atual. Como aprender tantas coisas, mudar tantos hábitos para agirmos dentro de um padrão de moral tão elevado como pregam não só os espíritas, mas também os budistas, os católicos e todas as outras filosofias religiosas?

Afinal, não se trata só de praticar algumas boas ações, mas sobretudo ter o pensamento constantemente voltado para o bem. Isto significa ser cordial, respeitoso, solidário e não se irritar com os outros, não criticar, julgar ou falar mal de quem quer que seja, não tentar tirar vantagem em nenhuma situação e, além disso, não se agoniar com os problemas mantendo a firmeza na fé.

Estes, naturalmente, são apenas alguns poucos exemplos de conduta que demonstrariam um avanço no desenvolvimento pessoal. E facilmente percebemos que uma grande parte da humanidade terrena não se importa muito em praticar esses valores, sem falar nos abusos cometidos contra todos os seres da natureza e o descaso com o meio ambiente.

A ganância e a irrefreada necessidade de manter poderio já desencadeou tantas guerras e a eclosão de mais uma seria devastadora, em função de todos os avanços tecnológicos que, embora tenham trazido inúmeros benefícios à saúde e ao bem-estar, melhorando a qualidade de vida de muitas maneiras, também desenvolveram armamentos cada vez mais mortíferos.

Que parte de nós quer tanto evoluir espiritualmente?

Mas voltando à pergunta, por que precisamos evoluir, não estamos bem assim? Na verdade não. Como dissemos acima, pode parecer um exagero se levarmos em conta só nossa vida atual.

Entretanto, além do corpo físico com o qual nos movemos no plano terreno, temos o corpo espiritual, que não morre com a morte do nosso corpo material.

O espírito é a vida original, é a nossa alma imortal, e sua aspiração é evoluir porque ela, de certa forma, sabe que a vida pode ser melhor, mais feliz, mais bonita.

E isso não diz respeito ao aspecto físico do lugar onde vivemos, mas à vibração do ambiente onde habitamos. Ou seja, a Terra, em si, é um lugar maravilhoso, com tantas e tão diversas paisagens, cores e sons da fauna e da flora.

Ainda assim, devido à condição de evolução espiritual da grande maioria de seus habitantes ela é considerada um planeta de provas e expiação. Isto é, um mundo onde existem muitas dores e sofrimentos causados pelas nossas atitudes, que ainda precisam passar por transformações para seu melhoramento.

Viver num mundo de provas e expiação pode ser considerado destino ou punição?

O fato de vivermos num mundo de expiação e sofrimento diz respeito não só à nossa atual existência, pois muitas vezes trazemos débitos antigos, de vidas passadas, onde atitudes tomadas precisam, agora de reparação, para manter o equilíbrio da “balança”.

Não se trata, portanto, de punição ou destino imutável, que muitas pessoas chamam de karma, uma vez que quanto mais praticarmos o bem mais “aumenta nosso crédito”, diminuindo gradativamente, por assim dizer, a “necessidade de sofrimento”.

Ou seja, os sofrimentos e desgostos não são castigos que recebemos. Mas alertas de que ainda não estamos nos esforçando o suficiente e podemos, não só demonstrar externamente que somos bons, confiantes e firmes em nossos princípios, mas de fato sentimos isso no mais fundo de nosso ser.

Porque podemos enganar as outras pessoas, podemos até enganar a nós mesmos, mas nunca enganaremos nosso espírito sobre o que sentimos verdadeiramente.

Você pode se interessar em ler também:
Data limite para o amor
A explicação de Divaldo sobre a transição que estamos vivendo
O mundo passa por uma grave provação espiritual, segundo Ramatis

O que diz o espiritismo sobre a relação do coronavírus e a transição planetária.

Agora, então, que falamos um pouco sobre a compreensão da nossa vida como seres espirituais, do caminho natural de evolução que seguimos e de como isso reflete na Terra, podemos entender melhor do que trata a transição planetária.

É, justamente, a mudança da energia de nosso planeta, que passará de uma vibração densa e sombria para uma vibração mais sutil e harmoniosa. Essa é a passagem da Terra para ser classificada pelo plano espiritual como um mundo de regeneração e, segundo os preceitos do espiritismo, o coronavírus pode trazer um impulso a essa renovação.

Acostumados que estamos às mudanças dentro do espaço de tempo de nossa vida, tendemos a pensar que a transição é um evento que deve acontecer num espaço relativamente curto de tempo, como quando passamos para um cargo melhor no trabalho, compramos um carro mais novo, ou nos mudamos para uma casa maior.

A contagem de tempo na eternidade da vida espiritual, entretanto, é diferente. E já há mais de 2.000 anos Jesus preparava o terreno para essa transformação. E certamente muitos de nós não estaremos aqui quando isso ocorrer, mas se reencarnarmos, encontraremos um mundo diferente. Não sei, também, como o plano espiritual processa essa diferença de graduação dos mundos, mas acredito que não será com uma grande festa de formatura e entrega de diplomas e troféus.

Haverá um tempo em que toda a população da Terra vai conviver de forma pacífica. Os relacionamentos entre pessoas, entre nações, com os animais e a natureza serão de compreensão, solidariedade, alegria. Isso pode parecer uma utopia, mas é nosso destino, o destino de nosso planeta. E está em nossas mãos acelerar essa transição.

Às vezes precisamos de um “empurrão”.

Entretanto, nos acomodamos facilmente às situações. E o egoísmo pode levar a uma total desconsideração com as outras vidas, com o planeta e a natureza que sustenta nossa própria vida.

Além disso, na iminência de tragédias maiores provocadas por guerras e pelo desarranjo na harmonia da Terra que levam a sérias alterações no clima, provocando incêndios florestais, derretimento glacial e tantas outras catástrofes climáticas, o plano espiritual – ou o próprio planeta, que é um organismo vivo – defende sua sobrevivência.

Assim o espiritismo explica como um organismo que nem podemos ver a olho nu, o coronavírus cause tamanha convulsão na vida de todo mundo com uma pandemia, mas que beneficia a recuperação da natureza.

Nós, também, somos parte da natureza e, portanto, também estamos tendo a oportunidade de nos recuperarmos. Só que enquanto a natureza se recupera purificando o ar, na nossa recuperação precisamos purificar nossos pensamentos.

Enquanto a natureza consegue limpar suas águas, nós precisamos clarear as nossas emoções. Se as espécies naturais estão conseguindo se reproduzir e povoar novamente a Terra, nós temos que reproduzir atitudes morais dignas e espalhá-las ao nosso redor.

Ajude a plantar a sementes para que floresça um mundo pacífico e harmonioso.

A pandemia do coronavírus acarretou milhares de perdas de vidas, vai causar transformações permanentes em muitos dos comportamentos sociais e profissionais, trouxe angústia e medo mas deve, sobretudo, trazer reflexão, e o espiritismo nos ajuda a compreender seu motivo.

Um evento desses não é à toa, não é um capricho da natureza e muito menos um castigo de Deus. É um apelo à transformação pessoal, à reforma íntima para que todos possamos ascender a mundos mais felizes.

Naturalmente, a jornada evolutiva é individual. E ninguém que tenha se transformado a ponto de não precisar mais estagiar num mundo de expiação vai continuar sofrendo.

Mas nós somos uma grande família, a família terrena. E quem não quer viver num lugar mais agradável junto com seus filhos, seus pais, seus amigos?

A escolha atende ao livre-arbítrio, isso ninguém pode questionar. Mas você não explicaria à sua família e seus amigos o que fazer para continuar vivendo juntos num lugar melhor, mais feliz, com uma vida mais plena?

Faça isso, então. Cada semente plantada, quando encontra solo fértil, germina e floresce. Se não lançarmos as sementes não haverá o que florescer nem frutificar. O solo ficará árido e desértico, assim como nossa vida, desprovida de alegrias e encantos.

Entre na equipe de jardineiros do plano espiritual e da Terra, ajudando a plantar as sementes das ideias. Elas vão, aos poucos, transformar a vida da humanidade e do planeta que, muito provavelmente, um dia ainda habitaremos novamente.

Noemi C. Carvalho

ASSINE GRATUITAMENTE NOSSA NEWSLETTER

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 10.316 outros assinantes

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.
Também nas redes sociais: Facebook – Instagram – PinterestTwitterYouTube

Veja também

menina pequena com fantasia de de borboleta olhando pela janela crianças pandemia

Crianças na pandemia: como mantê-las ativas e seguras

Especialistas da Johns Hopkins e de Stanford orientam sobre a melhor forma de deixar as crianças brincarem fora de casa e como ensinar a usar uma máscara de proteção.

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ASSINE GRATUITAMENTE NOSSA NEWSLETTER

Holler Box
%d blogueiros gostam disto: