Home / Autoconhecimento / Os pensamentos podem influenciar o bem-estar?

Os pensamentos podem influenciar o bem-estar?

Ilustração de uma cabeça feminina com sobreposições de imagens diversas representando pensamentos bem-estar

A ligação entre pensamentos e emoções.

Os nossos pensamentos influenciam o bem-estar, a saúde física e a emocional. Sentimos tristeza, aflição, ansiedade, desânimo. Quantas vezes nossos pensamentos não nos levam por esses caminhos que percorremos com andar vagaroso e passos amargurados? Mas uma vez que são nossos pés que trilham essa estrada, atendendo a nossa vontade e comando, cabe a nós modificar o seu rumo.

Num primeiro momento, podemos dizer que somos vítimas de uma situação; que não era nossa intenção, absolutamente, nos sentirmos mal. Mas e depois? Fizemos algo para sair disso, ou só ficamos estacionados nessa situação emocional desconfortável, esperando a chegada de alguém ou de algum acontecimento que nos salvasse?

Yogananda explica que “a felicidade depende, até certo ponto, das condições externas, mas principalmente das nossas atitudes mentais.

Em essência, as circunstâncias não são nem boas nem más; são sempre neutras, parecendo ser depressivas ou animadoras por causa da atitude mental triste ou alegre de quem as considera.

Essa afirmação pode causar estranheza, afinal existem fatos que são evidentemente difíceis, negativos, trazem dor e sofrimento. Entretanto, tudo o que acontece simplesmente é.

É assim, está feito, está acontecido. Aconteceu porque tinha que acontecer, porque alguém fez acontecer, por algum motivo que podemos não aceitar ou cuja finalidade não percebemos de imediato… mas é. É o que é agora.

Os aprendizados que enriquecem nossa existência.

A vida de cada um é feita de experiências que são, sempre, lições e aprendizados para nossa evolução espiritual. E não podemos esquecer que as pessoas de nosso convívio também têm suas experiências pessoais, e estas podem, naturalmente, também nos atingir de alguma maneira, pelo relacionamento que mantemos.

Ou seja, uma situação pela qual alguém está passando para seu aprendizado pessoal – seja de aprender a perdoar, controlar impulsos como a raiva, exercitar a paciência ou a humildade – pode nos colocar no centro dessa situação, por exemplo, como a pessoa que dever ser perdoada ou amada.

O aprendizado dos valores morais e espirituais precisa da prática, assim como qualquer outro aprendizado. As crianças aprendem o alfabeto e precisam praticar para ordenar palavras e sentenças. Você vê uma receita e precisa fazer com que os ingredientes se transformem naquele prato apetitoso. Um médico estuda o corpo humano e os fármacos, mas precisa saber o que os sintomas indicam e qual medicação é eficaz.

Assim é com o nosso processo evolutivo, mas existe uma diferença fundamental: na maioria das vezes não sabemos ou não temos a percepção do teor da lição, daquilo que nos é importante aprender e praticar. Por isso a dificuldade que sentimos em aceitar – e assim aprender – os fatos que consideramos desagradáveis em nossa vida.

Mas a recusa em aceitar esse acontecimento não traz nenhum tipo de benefício, não vai resolver a situação, não vai deixar que não sintamos mais o que sentimos. Ao contrário, só prolonga e piora a situação.

Portanto, por mais que o sentimento tenha surgido por um motivo justificado, continuar nessa vibração negativa vai se tornando cada vez mais prejudicial.

O poder de mudar as circunstâncias da vida.

Dalai Lama afirma que não devemos ocupar nossa mente nos preocupando com aquilo que não podemos resolver. A nossa energia deve ser direcionada para uma construção positiva, capaz de nos trazer ânimo e de nos impulsionar para novas realizações.

Se você desistiu da esperança de ser feliz um dia, anime-se. Jamais perca a esperança. Sua alma, reflexo do Espírito eternamente jubiloso, é, em essência, a própria felicidade”, afirma Yogananda.

E ele continua orientando: “Mude seus pensamentos se desejar mudar as circunstâncias de sua vida. Uma vez que é o único responsável por seus pensamentos, somente você pode mudá-los. Você vai querer fazer isso quando compreender que cada pensamento cria as coisas de acordo com sua própria natureza.

Lembre-se de que esta lei atua sempre e que você está sempre se expressando de acordo com a espécie de pensamentos que tem habitualmente. Portanto, comece agora a ter apenas os pensamentos que lhe trarão saúde e felicidade.”

A ação dos pensamentos na manutenção do bem-estar.

Temos, nesse ensinamento de Yogananda, a importância de manter uma forte disposição em não permitir que os pensamentos de negatividade fiquem “passeando” pela nossa mente. Uma vez que “cada pensamento cria as coisas de acordo com sua própria natureza”, é claro que pensamentos tristes vão aumentar a tristeza, pensamentos de ansiedade podem trazer situações que nos deixem ainda mais ansiosos.

E o nosso corpo físico também responde a esses impulsos tóxicos que se manifestam em mal-estar, desconforto e até desequilíbrios na saúde, uma vez que o corpo, a mente e o espírito são interligados. Assim, a desarmonia em qualquer um deles traz reflexos que não passam despercebidos.

Como explica Yogananda, “a mente, tendo o cérebro a sensibilidade e a percepção de todas as células vivas, pode manter o corpo humano bem disposto ou deprimido. A mente é a rainha e todos os seus súditos celulares se comportam exatamente de acordo com os ditames da real senhora. Assim como nos preocupamos com o valor nutritivo de nossas refeições diárias, devemos igualmente considerar o potencial nutritivo do cardápio psicológico que diariamente servimos à mente.”

Você pode gostar de ler depois: Você sabia que pode escolher um cardápio para alimentar sua mente?

Como transformar os sentimentos negativos.

Acredito que ficou clara a necessidade que existe em não nos demorarmos mais do que o necessário a fim de sentirmos e extravasarmos nossos sentimentos em relação a certo fato, e manter os pensamentos voltados à manutenção de equilíbrio e bem-estar em nossos dias.

A questão, então, que surge é: “Como sair desses sentimentos que são ruins, como se livrar disso para se sentir bem?” Vamos recorrer, mais uma vez, à sabedoria do Mestre indiano, que recomenda: “Você afirma a tristeza o tempo todo; portanto, ela existe.

Negue-a em sua mente e ela não existirá mais. Afirmar o Eu deste modo é o que chamo de herói no homem. É isso que constitui a sua natureza essencial ou divina. A fim de ficar livre da tristeza, o homem tem de afirmar seu eu heroico em todas as atividades diárias.

Se você não optar por ser feliz, ninguém poderá torná-lo feliz. Não culpe Deus por isso! E se optar por ser feliz, ninguém poderá torná-lo infeliz. Se Ele não nos tivesse dado liberdade para usarmos nossa própria vontade, poderíamos culpá-Lo quando nos sentíssemos infelizes; mas Ele certamente nos deu esta liberdade. Nós é que fazemos da nossa vida o que ela é.

Essa é a condição básica, portanto, para transformar sentimentos ruins de modo a ter uma vida harmoniosa e feliz. É preciso pensar e praticar a harmonia e a felicidade. Devem ser atos conscientes, resultados de uma firme vontade de realizar esse objetivo.

Deixar essa realização na mão dos outros, culpar os outros por nossa infelicidade ou esperar o surgimento do salvador de nossa vida não vão trazer aquilo que queremos. A felicidade pode ser encontrada mesmo nas mais difíceis situações, pelos atos de dar e receber e pela gratidão. Podemos dar um sorriso e estarmos abertos a recebê-lo também, podemos agradecer por um dia ensolarado e também por um dia de chuva.

Talvez você goste de ler “Não sinta vergonha de ser feliz

Transforme os pensamentos em atitudes de bem-estar.

Sua suprema felicidade consiste em estar sempre pronto para desejar aprender e para se comportar de maneira apropriada. Quanto mais você se aperfeiçoar, mais elevará os demais à sua volta. O homem que se aperfeiçoa é cada vez mais um homem feliz. E quanto mais feliz você se tornar, mais felizes serão as pessoas à sua volta.

Quase todo mundo conhece as figuras dos três macaquinhos que ilustram o provérbio “Não veja o mal, não ouça o mal, não fale o mal”. Dou ênfase ao tratamento positivo: “Veja o que é bom, ouça o que é bom, fale o que é bom”.

Essas três atitudes – veja, ouça e fale o que é bom – são os pilares de sustentação para mantermos os pensamentos positivos, com uma boa energia, vibrando harmonia, paz, felicidade ao nosso redor.

Parece coisas muito simples a se fazer, mas podemos encontrar dificuldades à medida que percebemos os hábitos que temos, como por exemplo reclamar de qualquer coisa, falar mal dos outros, e outras ações das quais nem não damos contas, mas que nos afastam da possibilidade de manter uma vida feliz.

Tudo na vida é aprendizado e prática. Mantenha pensamentos voltados ao seu bem-estar e dos demais. Pratique o bem, exercite solidariedade, transmita confiança, espalhe amor, distribua sorrisos.

Noemi C. Carvalho

ASSINE GRATUITAMENTE NOSSA NEWSLETTER

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

leaqui

Política de PrivacidadePolítica de Cookies Política Anti-Spam

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.
Também nas redes sociais: Facebook – Instagram – PinterestTwitter

Acompanhe as publicações inscrevendo-se para receber:
– Newsletter
– Notificações

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Cadastre-se para receber nossas publicações

Receba nossas publicações em sua caixa de e-mails

Após se cadastrar você receberá um e-mail para confirmar sua inscrição.

 

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

 

Você receberá um e-mail para confirmar sua inscrição.

%d blogueiros gostam disto: