Home / Especial Coronavírus / Quando a pandemia invade nossos sonhos

Quando a pandemia invade nossos sonhos

mulher sentada na beira de uma cama desarrumada sonhos pandemia

A qualidade do sono pode ser prejudicada em momentos de estresse emocional.

A pandemia do coronavírus está sendo responsável por muitos distúrbios do sono, traz noites mal dormidas e insônia, invade nossos sonhos e nos faz ter pesadelos.

Os sonhos são cargas emocionais armazenadas no inconsciente, que projetam imagens e sons. Fazendo uma analogia, pode-se pensar numa espécie de “fotografia” do inconsciente naquele momento. Por isso, o sonho sempre demonstra aspectos da vida emocional.

Existem duas fases do sono. A primeira é o sono de ondas lentas, em que a atividade do cérebro é baixa e, por isso, não se formam filmes em nossa mente, apenas pensamentos mais ou menos normais que passam em uma espécie de tela escura, em imagens. Já a segunda fase é de alta atividade e chamada REM – sigla em inglês para “movimentação rápida dos olhos” (Rapid Eyes Movement). E é durante a fase de REM que os sonhos ocorrem.

Como a pandemia do coronavírus está afetando a qualidade do sono e invadindo nossos sonhos? O que fazer para ter uma noite bem dormida? Veja as explicações e dicas de dois professores das Universidades Harvard e Yale.

Estudando os sonhos e os pesadelos.

O estudo de sonhos, particularmente os angustiantes sonhos e pesadelos das pessoas afetadas por traumas, incluindo veteranos de combate, ex- prisioneiros de guerra e socorristas do 11 de setembro, tem sido o enfoque do trabalho de Deirdre Barrett.

Recentemente, a professora assistente de psicologia no Departamento de Psiquiatria da Harvard Medical School criou uma pesquisa on-line para coletar dados sobre os sonhos das pessoas nesta época da pandemia do coronavírus. Até o momento, ela obteve mais de 2.500 respostas, contando mais de 6.000 sonhos.

Em entrevista a Colleen Walsh, da Universidade Harvard, Barrett falou sobre como o surto está afetando a qualidade e o conteúdo dos sonhos das pessoas.

O que acontece em nosso subconsciente durante períodos de estresse extremo e como isso se manifesta em nossos sonhos?

“Quando sonhamos, nosso cérebro está num estado em que as áreas visuais são muito mais ativas do que quando estamos acordados e, em média, as áreas emocionais são apenas um pouco mais ativas. Nosso córtex pré-frontal, logo atrás da testa, que controla a lógica linear mais precisa e também censura coisas sociais inapropriadas, bem como a maneira correta de fazer as coisas em nosso pensamento profissional, é bastante prejudicado. Nossas áreas verbais são um pouco menos ativas.

Então, acredito que nos sonhos estamos pensando nas mesmas coisas em que estávamos mais focados durante o dia, mas nesse outro estado de consciência. Temos um pensamento mais intuitivo e menos linear sobre as coisas. De vez em quando, veremos que nosso inconsciente parece muito mais assustado do que nos sentimos durante o dia, ou então nos fornece uma perspectiva otimista que não tivemos.

Mas acredito que, em geral, estar ansioso durante o dia e ter sonhos de ansiedade se correlacionam tanto com características que uma pessoa traz há longo tempo, como também com um estado manifestado há pouco tempo quando há um elemento estressante.

Você acha que excesso ou falta de sono podem contribuir para sonhos vívidos sobre o coronavírus?

Ter mais horas de sono do que o habitual, como muitas pessoas estão fazendo agora, significa mais tempo para os sonhos. E não é apenas proporcional às horas dormidas. Nosso último período REM da noite é o mais longo e mais “denso” e se relaciona com sonhos longos e vívidos.

Portanto, um despertador que interrompe o sono também interrompe o sonho. A relação com a insônia é mais complicada. Se alguém simplesmente dorme por menos tempo, há menos sonhos. No entanto, se o menor tempo de sono for causado por despertares freqüentes – seja devido a barulho, ansiedade etc. – é provável que você tenha mais períodos REM, o que resulta em mais lembranças de sonhos, embora não em sonhos mais reais.

Em geral, você vê padrões ou temas nos sonhos em sua pesquisa?

Estou percebendo grandes grupos de conteúdo onírico. Um deles é literalmente sobre pegar o vírus – esse tem sido um sonho bastante comum em que a pessoa está com falta de ar ou com febre, ou às vezes é um pouco mais fantasioso. Existem metáforas para o vírus: há um grande subconjunto de sonhos com insetos, com todo tipo de inseto imaginável atacando o sonhador.

Vejo todos os outros eventos ruins possíveis sendo relacionados como uma metáfora do vírus, como tsunamis, furacões, terremotos, incêndios. Mas acho que a maior parte desses sonhos é metafórica, porque não temos uma imagem clara que se relacione automaticamente com o vírus da covid-19 ou a pandemia. E, no entanto, a mente sonhadora é tão visual que, quando se sente ansiosa e preocupada, procura representá-la com uma imagem apropriada.

O que estou começando a notar é o aumento de sonhos sobre aspectos dos bloqueios ou outros fatos que são uma conseqüência da pandemia. O mais comum é, definitivamente, sobre a quarentena. As pessoas que estão em casa sozinhas sonham que estão na prisão, por exemplo, ou chamam outras pessoas para morarem em sua casa.

Você vê sonhos exagerando a questão do isolamento para algumas pessoas, ou a redução nos direitos de liberdade para outras. E isso está aumentando, assim como os sonhos onde todo o seu dinheiro acabou ou tenta conseguir um emprego e não consegue.

Existe alguma diferença nos sonhos daqueles que estão na linha de frente?

Tenho o relato de mais de 600 profissionais de saúde. Ainda é uma pequena parte dentro da amostra total, mas realmente vejo tendências fortes. As pessoas que trabalham na UTI ou nos pronto-socorros ou mesmo apenas nas unidades médicas gerais, na maioria dos casos estão tendo pesadelos. E parecem pesadelos de trauma, o que significa que não são tão oníricos, bizarros e metafóricos quanto a maioria dos outros sonhos.

Eles tendem a envolver o cuidado de alguém que está morrendo de covid-19, e estão tentando fazer algo como, por exemplo, colocar um paciente em um respirador, ou reconectar o tubo que sai do respirador ou as máquinas do respirador não estão funcionando. Eles sentem, então, que é sua responsabilidade salvar a vida dessa pessoa e, no entanto, eles realmente não têm muito controle sobre ela, e a pessoa está morrendo de qualquer maneira. Esse é o pesadelo deles.

Existe algo que podemos fazer para tentar controlar o que sonhamos?

A melhor maneira de fazer isso é pensar no que você gostaria de sonhar. Você pode escolher uma pessoa que gostaria de ver em seu sonho. Algumas pessoas gostam de imaginar sonhos, outras têm um sonho favorito. Então escolha o que você gostaria de sonhar. E você pode apenas visualizar uma pessoa ou lugar. Ou você pode, também, colocar uma fotografia do que gostaria perto de você, para que seja a última coisa que você vê antes de dormir.

Se você tem um sonho favorito em particular, tente repeti-lo em detalhes antes de adormecer. E isso torna mais provável que você sonhe com esse conteúdo, que tenha um sonho semelhante, e também menos provável que tenha sonhos de ansiedade.”

Como as pessoas podem se acalmar após um pesadelo e adormecer novamente?

O Dr. Meir Kryger, da Universidade Yale, foi pioneiro no campo da medicina do sono e começou esses estudos em 1974. Professor de medicina e professor clínico de enfermagem, também deu algumas dicas para melhorar a qualidade do sono numa entrevista a Bess Connolly.

“Devido ao estresse da pandemia, muitas pessoas estão passando por um sono instável, tendo sonhos muito vívidos e estão se lembrando de seus sonhos mais do que antes. Você se lembra de um sonho se acordar durante ou logo após o sonho. E, se o sonho é assustador, você acorda amedrontado. Se alguém tem um pesadelo repetitivo e acorda em pânico, isso pode ser um sinal de transtorno de estresse pós-traumático.

As pessoas precisam perceber que um pesadelo é um sonho, e um sonho não é real. Pessoas com saúde moderadamente boa sonham três a cinco vezes por noite. É importante lembrar que não há mensagem no seu sonho. Quando você atinge a idade adulta, você já teve muitos, muitos milhares de sonhos. Uma vez que você começa a dissecar seu sonho, ele assume um significado indevido e pode começar a cascata de insônia.

Quais são as suas sugestões para dormir melhor a noite toda, sobretudo durante a pandemia?

Em primeiro lugar, desligue seus aparelhos eletrônicos duas horas antes de ir para a cama. Isso inclui televisões, iPads e telefones celulares. Em segundo lugar, livre-se do seu despertador. A última coisa que você quer fazer é ter um relógio próximo à sua cabeça à noite, lembrando que você não está dormindo. 

Particularmente agora, durante a pandemia, as pessoas interrompem seus rituais e padrões de sono habituais. Elas ficam acordadas até muito tarde, dormem mais tarde.

É importante manter uma rotina normal, mesmo durante a quarentena. O cérebro adora regularidade. Adora que você vá para a cama à noite no mesmo horário e que acorde de manhã como de costume. Uma vez que seu horário é alterado, é muito difícil voltar à rotina normal.” 

ASSINE GRATUITAMENTE NOSSA NEWSLETTER

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

leaqui

Política de PrivacidadePolítica de Cookies Política Anti-Spam

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.
Também nas redes sociais: Facebook – Instagram – PinterestTwitter

Acompanhe as publicações inscrevendo-se para receber:
– Newsletter
– Notificações

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Cadastre-se para receber nossas publicações

Receba nossas publicações em sua caixa de e-mails

Após se cadastrar você receberá um e-mail para confirmar sua inscrição.

 

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

 

Você receberá um e-mail para confirmar sua inscrição.

%d blogueiros gostam disto: