Home / Emoções / Porque entender suas emoções é importante para resolver os problemas da sua vida

Porque entender suas emoções é importante para resolver os problemas da sua vida

Emoções: a diferença entre conceitos e a vida real.

Quando converso com alguém sobre a caminhada do autoconhecimento, uma observação costuma aparecer com frequência: “Leio textos que acho muito bons, tento colocar em prática as ações sugeridas, mas parece que, mesmo assim, não dá certo, não consigo resolver meus problemas.”

Podemos tentar entender o que acontece a partir destas duas palavras: pensamento e emoção.

Existe uma diferença entre um exemplo teórico e a dor pessoal. A sua situação particular – ainda que retratada perfeitamente num texto que você lê – significa para você mais que um amontoado de palavras e um desfile de conceitos: é uma situação real, seja do passado ou do presente, cuja ação é intensificada pela emoção que desperta.

Como as emoções interferem em suas decisões.

Emoções como a raiva, o medo ou a preocupação deflagram hábitos de pensamento. Estes hábitos tornam difícil para você por em prática uma resposta diferente, pensar, sentir e agir de outro jeito, procurando aplicar à sua vida o que você leu e estudou.

O que acontece é que você fica imobilizado em respostas-padrão, estruturadas a partir das crenças que fazem parte da sua vida. Elas se formaram ao longo de suas experiências e representam aquilo em que você acredita, aquilo que para você é verdadeiro e você não questiona.

Essas crenças são tanto os pensamentos como as sensações, os sentimentos que delinearam a forma como você reagiu em cada momento. Elas vão da preocupação ao medo, da raiva à vingança, da vergonha à necessidade de se justificar, e se misturam em sua mente numa dança frenética, num turbilhão de ideias e sentimentos.

Dessa forma, um fato simples pode tomar proporções desmedidas e os antigos fantasmas saem das sombras em que se esconderam, alimentados e fortalecidos pelos sentimentos anteriormente experimentados, que vêm à tona novamente.

Assim é que os medos e inseguranças da sua vida ressurgem, vivos e fortes.

Abandonar o que é velho para dar lugar ao que é novo.

Leia o que diz Lourenço Prado (1892, 1945), um dos pioneiros sobre temas de desenvolvimento pessoal, no livro “Alegria e triunfo II: crie seu próprio destino”, sobre esse assunto:

“(…) (É importante) estar disposto a abandonar o que é velho para dar lugar ao que é novo. Sem deixar os seus velhos hábitos, não haverá lugar para as novas coisas que deseja.

Porém você perguntará: “Como poderei fugir do passado? Ele não se acha envolvido na minha experiência? Como poderei escapar da impressão que deixaram no meu caráter as circunstâncias e acontecimentos relacionados com a minha vida?”

Não lhe peço que fuja do passado. Apenas peço que o deixe no passado, que o conserve em seu lugar e não o recorde, trazendo-o para o presente ou levando-o para o futuro. Abandone-o para que a grande inteligência o dissolva. (…) Os acontecimentos passados caíram como folhas ao vento. Deixe-os onde caíram para que o fogo do Amor Divino os devore e transforme.”

Como a desarmonia emocional se faz sentir.

Quando você está vivendo num cenário de confusão mental, um verdadeiro redemoinho emocional, o fluxo das energias vitais se desorganiza.

Essa desarmonia pode ser sentida de diversas maneiras, refletindo de forma desagradável:

  • no corpo, como dor de cabeça ou tensão muscular, por exemplo
  • na mente, com dificuldade de se concentrar ou organizar pensamentos, entre outras coisas
  • nas emoções, emergindo sentimentos de medo, insegurança, frustração, entre tantos outros

Nesses momentos, você precisa levar essa miscelânea de pensamentos-emoções-sensações ao equilíbrio. Se necessário, procure ajuda externa, de um profissional, um grupo, uma associação, que possa te ajudar a compreender e superar em definitivo algum trauma que talvez você nem perceba que está lá, principalmente se você sente essa desarmonia com frequência ou muita intensidade.

Algumas práticas simples, mas valiosas.

Para ajudar no dia-a-dia, você pode adotar algumas das sugestões a seguir:

  • faça exercícios de respiração, inspirando e expirando lentamente, mantendo um ritmo sereno e regular por alguns minutos
  • procure conforto e quietude numa prática espiritual: faça uma oração, apenas permaneça num silêncio de conexão espiritual, pratique uma meditação
  • ande descalço ou fique deitado por algum tempo no chão
  • pratique regularmente exercícios físicos leves, de preferência sob a supervisão de um profissional
  • sempre que possível, passe alguns momentos num parque, busque uma integração com a natureza, uma aproximação com sua natureza essencial

Restaure a harmonia em sua vida.

Quando você consegue restaurar o fluxo harmonioso das energias, as emoções se pacificam.

Com as emoções serenadas, você consegue perceber como os gatilhos emocionais deflagram essas armadilhas de repetição dos pensamentos

Quando você consegue identificar esses gatilhos emocionais você também consegue agir de modo diferente, encontrando novas soluções para antigos problemas.

É um novo estado de ser:

  • mais equilibrado energeticamente
  • mais sereno emocionalmente
  • mais centrado racionalmente

É uma nova forma de ação – substituindo a re-ação – permitindo, agora, aplicar as palavras dos sábios, dos mestres, dos orientadores em todos os momentos da sua vida, que vai se tornando cada vez mais simples e descomplicada.

Tão simples quanto as duas palavras que passam a definir o novo modo de viver e sentir: paz e gratidão.

Noemi C. Carvalho


LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

Também nas redes sociais: Facebook – Instagram – PinterestTwitter


Veja também

Jovem rapaz com máscara cirurgica lendo um livro escolar tendo ao fundo ilustração do coronavírus pandemia adolescentes

Impacto da pandemia em adolescentes: análise da Johns Hopkins

A pandemia do coronavírus causa impacto nos adolescentes, mas de modo diferente dos adultos. Leia a análise de professores da Johns Hopkins sobre o assunto.

%d blogueiros gostam disto: