Home / Energia / Elementos / Menta, uma apimentada história de amor da mitologia

Menta, uma apimentada história de amor da mitologia

folhas de menta
Menta, uma apimentada história de amor da mitologia.

A menta tem aroma e sabor picante como a história da sua origem.

A menta ou hortelã-pimenta (Mentha piperita) é uma erva originária da região mediterrânea da Europa.

Seu nome científico, “mentha“, está associado, na mitologia grega, à história da ninfa Menta e do deus Hades, o rei do submundo.

Mentha (ou Mintha) era amante de Hades, e alegava que seria a nova soberana, tomando o lugar da rainha Perséfone, que era a deusa da ervas, flores, frutos e perfumes, e também esposa de Hades e filha de Zeus.

Esta, sentindo-se traída, transformou Mentha numa planta destinada a crescer nas entradas das cavernas ou na porta de entrada do reino dos mortos. A palavra latina “piperita” foi acrescentada em alusão ao seu sabor fresco e apimentado.

As propriedades da hortelã-pimenta e os usos do óleo essencial.

O uso medicinal da menta consta das tradições do Antigo Egito, sobretudo para problemas estomacais. Planta de aroma intenso, é usada na culinária como tempero e também para infusão em chás.

O óleo essencial de menta é obtido através de destilação a vapor, e são necessários 60 Kg da planta para se obter 1 Kg de Óleo Essencial.

O seu uso promove expansão e o despertar com tranquilidade e lucidez. Renova e regenera a auto-aceitação abrindo espaço para ser você mesmo. Estimula o fluxo de energia e os sonhos, pois traz informações e compreensão sobre eles. Excelente para fadiga mental, depressão e estresse.

O óleo essencial de hortelã chama para o aqui e agora, ajuda na centralização e portanto ancora as pessoas muito eufóricas e traz alívio para casos de agitação.

Ensina as pessoas a ouvir e a falar, equilibradamente. Possibilita a tranqüilidade para atingirmos o ouvir mais e falar menos, e por isso é bom tanto para os que falam demais, assim como para os tímidos.

É um óleo de resgate, que traz a pessoa para o seu lugar, recuperando a memória existencial, isto é, o que trazemos guardado ao longo de nossa eternidade.

A menta ajuda a integração com o divino que habita em nós.

O óleo essencial de menta ajuda aos inseguros e submissos a se imporem, porque é uma planta que se firma com muitas raízes que se estendem pela terra.

Seu aroma estimula e acalma, eleva e suaviza. Concede-nos compreensão tranquila do aspecto mental, é excelente também para desbloquear emoções que estão represadas, principalmente a raiva.

Por sua ação refrescante natural, pode acalmar estados de choque e histeria. Ajuda na auto-aceitação, promove a expansão da consciência do divino no ser humano.

Sua fragrância pode prover muitas de nossas necessidades, e quando estamos letárgicos e pensamos que tudo está perdido, a hortelã nos energiza e coloca-nos em contato com o nosso eu interior, o divino que habita em nós.

Porque existem diferentes informações sobre o uso das plantas.

É preciso fazer uma consideração importante sobre as informações e indicações acerca de plantas e óleos essenciais. Podemos encontrar discrepâncias nas características, formas de se usar e indicações de cada planta porque existem muitas fontes com informações sobre este assunto.

A pluralidade de informação, por si só, já indica a importância da matéria, e a necessidade de uma maior atenção acerca do que é informado.

Acredito que por ser um assunto tão fascinante e que acompanha o ser humano desde sua origem, a quantidade e diversidade ao expressar todo esse conhecimento deve-se ao fato de que cada cultura tenha se relacionado com as plantas de acordo com o conhecimento de sua época e com o entendimento decorrente das experiências que tiveram ao utilizá-las.

Outro fator que pode ter determinado as diferentes informações é a tradição da oralidade na  passagem do conhecimento. Além disso, modernamente, existem diferenças nas traduções de antigos escritos.

Dessa forma, o conteúdo que aqui expressamos é fruto de estudos e da experiência com a utilização dos óleos essenciais, principalmente no período em que atuei como terapeuta e fazia uso dos óleos para promover equilíbrio e harmonização.

Ao longo desse trabalho, aprendi a me relacionar com as plantas sempre reverenciando-as com profundo respeito e admiração por sua capacidade de nos prestar tanto serviço e ajuda.

Cuidados na utilização de óleos essenciais.

É preciso atentar às recomendações de segurança, bem como às precauções definidas para cada óleo, de forma a aplicá-los de maneira efetiva e segura.

Para crianças, idosos e pessoas debilitadas, por exemplo, existem restrições que devem ser respeitadas. Da mesma forma, devem ser respeitadas as características e cuidados específicos de cada óleo, uma vez que podem apresentar efeitos indesejados caso não sejam usados adequadamente.

Importante: os óleos essenciais puros não devem ser ingeridos nem usados diretamente sobre a pele. Procure sempre orientação de pessoas devidamente capacitadas.

José Batista de Carvalho

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.
Também nas redes sociais: Facebook – Instagram – PinterestTwitter

Acompanhe as publicações inscrevendo-se para receber:
– Newsletter
– Notificações

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Cadastre-se para receber nossas publicações

Receba nossas publicações em sua caixa de e-mails

Após se cadastrar você receberá um e-mail para confirmar sua inscrição.

 

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

 

Você receberá um e-mail para confirmar sua inscrição.

%d blogueiros gostam disto: