Home / Emoções / Saiba porque é importante perdoar

Saiba porque é importante perdoar

importante perdoar

O perdão que fica nas aparências não traz a paz.

Sempre ouvimos que é importante perdoar, que não devemos manter sentimentos de mágoa ou raiva por alguém por causa do seu comportamento conosco ou de algo que nos tenha feito e que nos prejudicou.

Mas por mais que a mente entenda isso, às vezes o coração não consegue aceitar. Então fica o conflito, porque achamos que é um “ato nobre e digno” mostrar aos outros que perdoamos. Mas, lá no fundo, aquele sentimento nada nobre continua corroendo as beiradas da nossa paz.

E assim ela não fica inteira, não é uma paz por completo, porque sempre volta à mente algum pensamento que nos lembra o que aconteceu. E, é claro, a emoção vem junto. Ela traz de novo o sentimento de vitimização, de raiva, a vontade da revanche, a praga oculta porque, afinal, “o mundo dá muitas voltas” e “a justiça vem de Deus”.

Sem dúvida alguma Deus é justo e bom. Mas Ele não pune. A “punição” ou a reparação pelas ações indevidas vem como consequência natural de nossos atos, pela força do carma, ou da lei causa e efeito.

Por isso não existe “justiça”, no sentido de vingança ou punição. Mas sim a justa medida das leis naturais e divinas. E é através delas que nós mesmo nos sentenciamos ao bem ou ao mal, como decorrência de nossas atitudes corretas ou de nossas falhas nas relações com o mundo onde vivemos.

Por que, então é importante perdoar?

Para responder a essa pergunta, vamos atentar ao que disse Emmanuel: “Dentre os ângulos do perdão, um existe dos mais importantes, que nos cabe salientar: os resultados dele sobre nós mesmos, quando temos a felicidade de desculpar.

Muito frequentemente interpretamos o perdão como sendo simples ato de virtude e generosidade, em auxílio do ofensor, que passaria a contar com a absoluta magnanimidade da vítima”. A bondade, explica o benfeitor espiritual, orienta para que se relegue ao esquecimento tudo o que decorre do mal.

E além disso, ele continua, “quando conseguimos desculpar o erro ou a provocação de alguém contra nós, exoneramos o mal de qualquer compromisso para conosco, ao mesmo tempo que nos desvencilhamos de todos os laços suscetíveis de apresar-nos a ele”.

O perdão rompe os laços que podem nos afetar negativamente.

Compreendemos, portanto, que o perdão traz benefícios principalmente a nós mesmos. Ele rompe os laços energéticos tóxicos que podem nos prender indefinidamente através dos sentimentos e dos pensamentos de baixa vibração, fazendo com que isso se reflita na nossa vida.

Assim, temos agora o conhecimento de como opera o mecanismo do perdão. E Emmanuel nos orienta a refletir muito bem sobre as consequências indesejáveis a que podemos nos submeter.

“Não te admitas carregando os explosivos do ódio ou os venenos da mágoa que destroem a existência ou corroem as forças orgânicas, arremessando a criatura para a vala da enfermidade ou da morte sem razão de ser”, alerta o mentor espiritual.

Certamente, em várias ocasiões, vamos nos deparar com atitudes que nos ferem os sentimentos, com “a intromissão do mal em nosso caminho”. Mas cabe a cada um a decisão de não acolher nem transportar consigo a carga destruidora, “à maneira de lâmina enterrada por ti mesmo no próprio coração”.

Existem muitas coisas importantes na vida, e uma delas é perdoar.

É fundamental nos defendermos da melhor maneira contra os efeitos prejudiciais que certamente sofreremos se acalentarmos a raiva, a mágoa e o desejo de vingança. E a solução é proposta por Emmanuel da seguinte forma:

“Ante ofensas quaisquer, defende-te, pacifica-te e restaura-te, perdoando sempre. Nas trilhas da vida, somos nós próprios quem acolhe em primeiro lugar e mais intensivamente os resultados da intolerância, quando nos entrincheiramos na dureza de alma.

Sem dúvida, é impossível saber, quando venhamos a articular o perdão em favor dos outros, se ele foi corretamente aceito ou se produziu as vantagens que desejávamos.

Entretanto, sempre que olvidemos o mal que se nos faça, podemos reconhecer, de pronto, os benéficos efeitos do perdão conosco, em forma de equilíbrio e de paz agindo em nós”.

As formas de melhorar a nossa vida, de vivermos com equilíbrio, serenidade e bem-estar nos são continuamente apresentadas e explicadas.

Como agora, por exemplo, quando Emmanuel nos ajudou a entender porque é importante perdoar. Mas cabe a cada um a tarefa, ainda que apresente dificuldades, de colocar as orientações em prática.

E como tudo o que aprendemos, desenvolvemos e fazemos, o perdão também precisa de treino e de prática. Até que, enfim, se torne uma ação rotineira e natural.

Noemi C. Carvalho

Emmanuel, no livro “Alma e Coração”, psicografado por Chico Xavier

ASSINE GRATUITAMENTE NOSSA NEWSLETTER

1 – Insira o seu e-mail e cadastre-se.

2 – Autorize sua inscrição no e-mail de confirmação que você vai receber.
* Lembre-se de olhar as caixas de spam e de promoções.

Política de PrivacidadePolítica de Cookies Política Anti-Spam

LêAqui: a mensagem certa na hora certa.

Também nas redes sociais:

Facebook

Instagram

Pinterest

Twitter

YouTube

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossas publicações por

e-mail

 Insira o seu e-mail para se cadastrar.

Você vai receber primeiro um e-mail para autorizar a inscrição.

Lembre-se de olhar as caixas de spam e de promoções.

Um e-mail vai ser enviado para você autorizar a sua inscrição. Lembre de olhar a caixa de spam.

%d blogueiros gostam disto: